Depois de fazer a sua estreia na nova geração do Mokka, eis que a Opel entendeu ser chegada a altura de actualizar o Crossland com a nova frente da marca. Mas a renovação do B-SUV germânico excede a estética, pois também há melhorias a nível do chassi e da direcção, ao mesmo tempo que o Crossland robustece a sua capacidade de enfrentar condições de piso mais desafiadoras, pois passa a disponibilizar controlo de tracção adaptativo, solução a que a PSA chama de IntelliGrip.

Exteriormente, além da frente adoptar a nova “cara” da marca, o que confere ao modelo um uma imagem mais robusta e acutilante, atrás desaparece o “X” e surgem grupos ópticos escurecidos que reforçam a assinatura luminosa em forma de asa. Nas unidades com o tejadilho preto, passa a ser possível que a superfície do portão traseiro exiba uma nova coloração em preto brilhante, o que enfatiza a largura do crossover.

Com jantes de liga leve de 16 e 17 polegadas, o Crossland actualizado recebe ainda placas de protecção inferior dianteiras e traseiras, faróis de nevoeiro dianteiros em LED e uma moldura de portas cromada nas versões Ultimate.  Mas, para os que perseguem uma estética mais desportiva, passa a existir um nível de equipamento que procura ir ao encontro dessa aspiração, recorrendo essencialmente ao contraste preto/vermelho. O chamado GS Line+ contempla jantes de liga leve de 17 polegadas em preto, tejadilho preto e frisos em vermelho, barras de tejadilho, luzes traseiras LED e bancos da frente com certificação da Aktion Gesunder Rücken (AGR), garantia de que são ergonómicos.

No interior, não há modificações significativas, continuando o SUV alemão a apostar no conforto a bordo, nomeadamente com bancos dianteiros AGR, e na versatilidade proporcionada por bancos traseiros deslizantes e reclináveis individualmente, permitindo à bagageira acomodar até 1255 litros com o rebatimento total dos assentos.

6 fotos

Mais importante é o facto de o Crossland passar a contar opcionalmente com IntelliGrip, sistema de controlo de tracção adaptativo que incrementa a aderência e a estabilidade nos mais diferentes tipos de piso, bastando para tal ao condutor seleccionar um dos cinco modos de utilização (Normal/On-road; Snow/Neve; Mud/Lama; Sand/Areia e ESP Off). Outra das novidades recai na introdução de novas molas e amortecedores para a suspensão dianteira, do tipo McPherson, e barras de torção para o eixo traseiro. Segundo a marca, isso combinado com o novo veio intermédio da coluna de direcção resulta num chassi com um melhor compromisso entre conforto e agilidade.

Em termos de assistência à condução e de segurança, o renovado Crossland passa a dispor, consoante o nível de equipamento, de head-up display, alerta de colisão dianteira iminente com travagem automática de emergência e detecção de peões; aviso de cansaço do condutor; alerta de ângulo cego; câmara traseira panorâmica e assistente de estacionamento automático. De resto, fazendo apanágio do empenho da Opel em permitir aos condutores ver tão bem de noite como de dia, o Crossland conta com faróis full-LED adaptativos com luz de curva, comutação automática médios-máximos e auto-nivelamento.

Nas mecânicas, não há novidades. A oferta continua a ser assegurada por motores com cilindradas de 1,2 litros (a gasolina) e 1,5 litros (a gasóleo), e potências entre 83 cv e 130 cv, sendo que todas as motorizações cumprem a norma Euro 6d.