O caminho para um “sistema energético sustentável” e mais limpo passa por tentar assegurar que “nenhum telhado com potencial para a geração de energia limpa seja ignorado”. A frase é de Ignacio Madrid, presidente executivo da Energia Independente (EI), a nova empresa da Galp Energia, que vai lançar uma oferta para convencer mais consumidores, empresas e famílias, a instalar painéis solares, recuperando o investimento, através do autoconsumo de energia. Esta solução será comercializada em Portugal e Espanha e já está ser testada com mais de 200 consumidores na fase piloto, foi revelado numa apresentação a jornalistas.

A solução é anunciada como feita à medida de cada cliente, usando para tal as “tecnologias mais avançadas como as imagens de satélite, algoritmos de inteligência artificial e big data (análise de grandes quantidades de dados)”. Este mix de tecnologias permitirá, segundo um comunicado divulgado esta quinta-feira, calcular o investimento adequado e a sua rentabilidade com base nos consumos históricos do cliente, a orientação do telhado e na exposição solar para cada painel instalado.

Para obter estes resultados, a EI aposta no recurso a um simulador no qual cada consumidor inscreva a sua morada num mapa, seleciona o espaço no telhado para a instalações de painéis, e comunica o seu consumo aproximado. Com base nestes dados, a plataforma consegue dar uma primeira estimativa do investimento necessário, bem como das poupanças estimadas. Nas previsões já divulgadas, a empresa admite que o retorno face ao investimento feito possa rondar os 15% a 20%, com recuperação total — o cliente passa a produzir a energia que consome deixando de pagar, pelo menos numa parte, a um comercializador de gás e eletricidade — em menos de cinco anos.

Depois passa-se à fase de projeto o qual inclui o estudo e design da instalação dos painéis, bem como a montagem do sistema e, na fase de arranque, as autorizações, licenças e subsídios associados à tecnologia solar para cada tipo de cliente — empresas ou domésticos. Esta solução prevê também a monitorização das instalações e da sua performance, o que permitirá uma permanente análise e eventual correção dos equipamentos ao longo da sua vida útil.

Na apresentação aos jornalistas, Ignacio Madrid, esclarece que a contratação deste produto não implica a contratação de eletricidade ou gás à Galp Energia, pelo que estará disponível para todos os consumidores de eletricidade cuja residência ou instalação permita explorar a energia solar para autoconsumo.

Esta nova oferta comercial faz parte da estratégia da empresa de petróleo e gás de adequar as suas operações às metas da transição energética. A Galp fechou recentemente a aquisição de 75% da empresa da ACS para explorar energia solar na Península Ibérica, tendo-se se tornado um dos maiores operadores a nível ibérico. No entanto, a empresa, tal como a EDP, não obtiveram lotes no segundo concurso para potência solar realizado este ano em Portugal.