O Presidente da República da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, disse esta quinta-feira que o país “deixou para trás as crises cíclicas” e que a sua primeira conquista enquanto chefe de Estado foi a estabilidade política.

“Hoje deixámos para trás as crises cíclicas, porém para realizar todos os projetos, temos de ter essa mudança e quanto à minha Presidência, posso afirmar que a minha primeira conquista foi a estabilidade da Guiné-Bissau”, disse o chefe de Estado, no final do encontro que manteve em Lisboa com o seu homólogo português, Marcelo Rebelo de Sousa.

No final do encontro, que marcou o início da visita oficial do Presidente guineense a Portugal, Sissoco Embaló defendeu um aprofundamento do relacionamento com Portugal e pediu mais apoio, nomeadamente na cooperação.

Desejamos construir uma parceria especial e estratégica com Portugal, cujos pilares queremos definir nesta visita”, disse, acrescentando que a ministra dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau, Suzi Barbosa, já se reuniu com o homólogo português, Augusto Santos Silva, e com a secretária de Estado da Cooperação, Teresa Ribeiro.

Queremos trabalhar com Portugal para a consolidação do Estado através de reformas profundas na administração pública e hoje à tarde vou reunir-me com o primeiro-ministro, queremos ter uma cooperação mais ativa e mais presente na Guiné-Bissau”.

“Portugal é a segunda casa dos guineenses, a história que nos une é multissecular, e enquanto Presidente da República tudo farei para reforçar esses laços, e contamos muito com o apoio de Portugal a todos os níveis, não só bilateral, mas multilateral e enquanto porta-voz da Guiné-Bissau no quadro internacional”, concluiu.

A visita oficial a Portugal do Presidente da República da Guiné-Bissau decorre até sábado.