O presidente da Câmara Municipal de Loures estimou esta quinta-feira que no ovo Centro de Saúde de Santa Iria da Azoia possa abrir em 2021, para servir 20 mil utentes, num investimento de cerca de 2,8 milhões de euros. Em declarações à agência Lusa, Bernardino Soares (CDU) adiantou que as obras arrancaram esta semana e deverão estar concluídas no final de 2021.

“É uma excelente notícia para a população de Santa Iria, que vai ter um Centro de Saúde não só bastante funcional como com qualidade arquitetónica acima da média”, sublinhou o autarca.

Bernardino Soares explicou que o novo equipamento de saúde, que vai servir cerca de 20 mil utentes, implica um investimento total de cerca de 2,8 milhões de euros.

O executivo municipal assumiu a responsabilidade de ficar com parte dos encargos desta obra, quer com a disponibilização do terreno, quer com a assinatura de um protocolo de repartição dos encargos”, apontou.

Assim, a construção do Centro de Saúde de Santa Iria da Azoia irá ser financiado em um milhão de euros pela Câmara de Loures, o mesmo valor pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS-LVT) e os restantes 800 mil euros por fundos comunitários.

“Entendemos que este Centro de Saúde tinha de avançar rapidamente e não podíamos continuar na situação absolutamente indigna em que continua a funcionar a Unidade de Saúde de Santa Iria da Azoia. Portanto, o início desta obra é uma boa notícia”, sublinhou.

Bernardino Soares referiu, ainda, que decorrem também processos para a construção de um Centro de Saúde no Catujal, em Santo Antão do Tojal e em Camarate.

O processo mais adiantado é o do Centro de Saúde do Catual, localizado na União de Freguesias de Camarate, Unhos e Apelação, cujo concurso deverá ser lançado no final deste ano e irá servir cerca de 20 mil utentes. Já o de Santo Antão do Tojal, que servirá cerca de 15 mil utentes, encontra-se na fase de elaboração de projeto.

Quanto ao futuro Centro de Saúde Camarate, que servirá cerca de 20 mil utentes, Bernardino Soares explicou que neste momento a autarquia está a verificar com a ARS-LVT qual será o terreno mais adequado para instalar este equipamento.