Cerca de um quarto das plantações de kiwi italianas foram afetadas por uma doença que os cientistas ainda não conseguiram identificar, noticia o jornal The Guardian. Em algumas plantações, a percentagem de plantas doentes chega aos 80%. Sem saber a origem, os cientistas e produtores também não têm nenhum tratamento.

A doença, ainda sem nome oficial, é fulminante. Começa por atacar as raízes que escurecem e apodrecem. Depois, as folhas caem em 10 dias. Em um ou dois anos a planta está completamente seca e morta, conta o jornal The Guardian.

“Morìa” (que significa, morte por uma doença infecciosa) foi o nome atribuído pelos agricultores à doença que surgiu em Verona, em 2012. Os investigadores ainda não conseguiram encontrar a causa, mas já encontraram sintomas semelhantes em plantações em Espanha, França, Grécia, Turquia, Japão e China (o terceiro maior produtor mundial).

Contactado pelo Observador, fonte oficial do Ministério da Agricultura diz que não têm conhecimento de nenhuma doença desconhecida nos kiwis em Portugal e acrescenta que “os serviços fitossanitários italianos não fizeram nenhuma notificação ao sistema rápido europeu (EUROPHYT) até à presente data”.

Os kiwis não são, no entanto, a única produção a ter problemas em Itália. Houve uma aceleração das doenças das plantas em Itália, afetando macieiras, pereiras e oliveiras, disse Lorenzo Tosi, investigador na empresa Agrea, citado pelo Guardian.

As alterações climáticas, com as ondas de calor no verão e situações de precipitação extrema, podem estar a contribuir para o enfraquecimento das plantas e alterações no solo, mas por enquanto ainda é preciso fazer mais investigação para se ter a certeza.