Evento com as famílias ‘Golden Star’ (estrela dourada, em tradução livre) decorreu na East Room da Casa Branca no domingo, dia 27 de setembro. O distanciamento social entre os participantes não foi respeitado e eram poucos aqueles que usavam máscara. Agora, Donald Trump assume que pode ter ficado infetado durante a iniciativa.

“Tenho várias coisas para fazer. E, mais uma vez, eu quis dizer olá às famílias ‘Golden Star’. Não ia ficar na cave a dizer: Ei! Não posso ir ter convosco porque viajaram da Califórnia e outros sítios. Está tudo bem”, afirmou Trump na quinta-feira durante uma entrevista na Fox.

A hipótese surge depois da conselheira Hope Hicks ter sido apontada como a fonte de contágio a Trump e Melania, mas o presidente norte-americano desvaloriza a hipótese de ter sido infetado no evento com as famílias na Casa Branca. “É muito, muito difícil quando estás com militares e eles vêm até ti e querem abraçar-te porque fazes um bom trabalho por eles. As pessoas aproximam-se e as coisas acontecem”, apontou o presidente.

Hope Hicks, a conselheira que “entende completamente” Trump e que pode tê-lo infetado com o novo coronavírus

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Mas a associação tem outra versão. Um responsável, presidente e CEO da Fundação Greatest Generations, Timothy Davis, afirmou em comunicado, citado pelo Guardian, que todos os participantes na iniciativa foram antes testados pela Casa Branca e tiveram resultados negativos. A Casa Branca usou testes rápidos de antigénio que têm resultados mais rápidos.

“Considerando que já se passaram 12 dias desde o evento, a família ‘Gold Star’ está bem e não tem sintomas da Covid-19”, acrescentou Timothy Davis no comunicado, acrescentando que o grupo faz uma “atualização diária” sobre o estado de saúde dos participantes no evento aos agentes de ligação da Casa Branca.