O diretor do Centro de Prevenção e Controlo de Doenças da União Africana (África CDC) estabeleceu esta segunda-feira como meta a imunização de 40 a 60 por cento da população do continente africano com a futura vacina para a Covid-19.

“O nosso objetivo para o continente é alcançar, pelo menos, entre 40 e 60 por cento da imunização da população para atingir a imunidade de grupo num continente de 1,2 mil milhões de pessoas”, disse John Nkengasong.

O diretor do África CDC falava esta segunda-feira durante a conferência do Financial Times sobre África, este ano em formato virtual, num painel sobre os desafios médicos em África no contexto da pandemia de Covid-19.

“Temos de chegar lá por fases. Começaremos por vacinar as populações vulneráveis, nomeadamente os presos, depois os profissionais de saúde e a seguir o resto da população”, acrescentou, sublinhando que esta é ainda uma discussão em aberto.

John Nkengasong adiantou que, através da plataforma Covax, foram prometidas a África 220 milhões de doses de uma futura vacina para a Covid-19. “Se assumirmos que para cada imunização precisamos de duas doses, conseguiremos vacinar 110 milhões de pessoas”, disse, apontando que, com estes dados, há ainda “muito trabalho” a fazer nesta matéria. Por isso, indicou, além da estratégia para assegurar vacinas através da plataforma Covax, decorrem conversações em outras frentes para mobilizar o máximo de doses, nomeadamente com a Índia. A Covax é um mecanismo para a aquisição conjunta das novas vacinas para a Covid-19 coordenado pela Aliança Global para as Vacinas (GAVI, na sigla em inglês) com o objetivo de assegurar o acesso justo e equitativo a estes medicamentos.

Por outro lado, defendeu a necessidade de começar desde já a preparar a forma como essa futura vacina será distribuída no terreno, onde o África CDC tem em curso um estudo para avaliar a perceção da população relativamente à vacinação.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que até final deste ano ou início do próximo seja possível ter uma vacina contra a Covid-19 e os países africanos não querem ficar para trás, numa altura em que os países ricos estão já a pré-comprar milhões de doses.

África registou nas últimas 24 horas mais 200 mortes devido à Covid-19 e 7.964 novas infeções, elevando os números totais para 38.396 e 1.577.644, respetivamente, segundo os últimos dados relativos à pandemia no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas o número de recuperados nos 55 Estados-membros da organização foi de 6.997, para um total de 1.304.622 desde o início da pandemia.