A explosão de um engenho matou duas crianças e feriu outra, nos arredores de uma unidade militar, no município de Cacuaco, província de Luanda, capital de Angola, noticiou esta segunda-feira a imprensa local.

No incidente, ocorrido sábado, segundo a Polícia Nacional, citada pela agência noticiosa angolana, Angop, morreram dois menores, de 14 e 15 anos, enquanto a terceira vítima ficou ferida.

Segundo a polícia, o sobrevivente, que recebe tratamento no hospital municipal de Cacuaco e está fora de perigo, contou que a explosão aconteceu quando martelavam um material bélico, localizado nos arredores da 100.ª Unidade de Tanques das Forças Armadas Angolanas (FAA).

Em dezembro de 2019, a explosão de um engenho causou 13 feridos, na área do mercado dos correios, distrito do Golfe, município do Kilamba Kiaxi, arredores de Luanda.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Angola libertou, nos últimos cinco anos, 90 por cento das áreas suspeitas de estarem minadas, mas continua a integrar a lista dos dez Estados mais contaminados no mundo, fruto de mais de três décadas de guerra.

Com mais de 100 quilómetros de terras suspeitas de terem minas terrestres e outros vestígios de armamento, 18 anos depois do fim da guerra, o país lusófono continua a registar mortes e mutilações dos seus cidadãos devido a explosões de engenhos.