O empresário Augusto Cymbron, um dos fundadores do CDS-PP nos Açores e conselheiro nacional do partido, morreu esta segunda-feira, aos 76 anos, revelou o CDS/Açores, que o recordou como uma “referência da democracia-cristã açoriana”.

“Empresário, com a Insígnia Autonómica de Mérito Industrial, Comercial e Agrícola, dedicou-se à causa pública por princípios e valores e será sempre uma referência da democracia-cristã açoriana”, adiantou o CDS dos Açores, numa nota divulgada nas redes sociais.

Augusto Cymbron nasceu em Lisboa, em 1944, mas concluiu o liceu em Ponta Delgada e formou-se em história na Universidade dos Açores.

Fundou e dirigiu várias empresas, ligadas a diferentes áreas de negócios, na ilha de São Miguel, e em 2006 foi eleito presidente da Associação Nacional de Revendedores de Combustíveis (ANAREC).

Aderiu ao CDS-PP em 1975 e foi um dos fundadores do partido nos Açores. Foi presidente do conselho regional e conselheiro nacional do CDS.

Foi cabeça de lista do CDS-PP pelo círculo eleitoral fora da Europa, nas eleições legislativas de 2011.

Em 2013, afastou-se do partido por divergências com os órgãos de ilha em São Miguel, mas no ano seguinte venceu as eleições para a Comissão Política de Ilha e desde 2015 era um dos vice-presidentes da comissão diretiva regional do CDS-PP/Açores, liderada por Artur Lima.

O seu percurso profissional valeu-lhe, em 2012, a Insígnia Autonómica de Mérito Industrial, Comercial e Agrícola, atribuída pela Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.

O CDS-PP/Açores cancelou todas as ações de campanha para as eleições legislativas regionais de 25 de outubro, agendadas para esta terça-feira, devido à morte de Augusto Cymbron.