O treinador da seleção portuguesa de futebol, Fernando Santos, admitiu que é “triste” pela “parte humana” que Cristiano Ronaldo tenha esta terça-feira sido diagnosticado com Covid-19, mas descarta que esta infeção tenha surgido por ter havido um incumprimento das regras.

“Temos feito tudo o que nos tem sido dito [para fazermos], porque a saúde é algo muito importante, e desde segunda-feira [da semana passada] que estamos aqui, completamente confinados”, disse, numa conferência de imprensa esta terça-feira ao final da tarde.

“O staff e os jogadores entraram aqui, fomos todos testados e nunca mais entrou ninguém aqui dentro. Aqui há uma bolha, portanto não há ninguém que venha de fora, ou que saia ou que entra”, garantiu. “No primeiro estágio não tivemos nenhum problema, desta vez infelizmente aconteceu, mas não porque não houve um cumprimento das regras. Aconteceu.”

Cristiano Ronaldo é o terceiro jogador da seleção portuguesa a testar positivo para a Covid-19. Antes dele, já José Fonte e Anthony Lopes tinham tido o mesmo diagnóstico. Tanto José Fonte (diagnosticado a 6 de outubro) como Anthony Lopes (9 de outubro) foram dispensados do estágio e saíram do local onde se concentra, por agora, a seleção nacional de futebol, a Cidade do Futebol, da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), em Caxias.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ao contrário daqueles jogadores, e pelo menos para já, Cristiano Ronaldo mantém-se na Cidade do Futebol. Está isolado no seu quarto desde segunda-feira à noite, depois de ter testado positivo. Na manhã desta terça-feira, um segundo teste também deu positivo, confirmando assim o diagnóstico.

“Ontem, depois do teste os jogadores foram para os quartos. Depois de manhã, durante a noite, soubemos da notícia. De manhã voltou-se a testar, o Cristiano e os outros jogadores. Obviamente que o Cristiano num primeiro momento isolado dos outros, porque ele a partir daí esteve sempre em isolamento”, contou Fernando Santos.

Fernando Santos confirma, tal como tem sido dito ao longo do dia pela FPF, Cristiano Ronaldo está “bem” e “assintomático”.

No plano desportivo, Fernando Santos admite que a ausência de Cristiano Ronaldo pode fazer diferença, mas não ao ponto de impedir uma vitória contra a seleção da Suécia no encontro agendado para esta quarta-feira às 19h45.

“Nenhuma equipa não tendo o melhor do mundo pode ficar melhor”, disse. “Agora, esta equipa já demonstrou que coletivamente tem capacidade para resolver as questões que lhe são colocadas”, sublinhou.