315kWh poupados com o
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo MEO

Veja as melhores ofertas de telecomunicações aqui.

Peru. Machu Picchu reabre apenas para turista japonês após sete meses de encerramento

Este artigo tem mais de 6 meses

Jesse Takayama teve acesso ao sítio arqueológico depois de ter submetido um pedido especial. Turista japonês tinha viajado até ao Peru para concretizar sonho de visitar as ruínas incas.

Machu Picchu fica no topo de uma montanha, a mais de 2.400 metros de altitude
i

Machu Picchu fica no topo de uma montanha, a mais de 2.400 metros de altitude

AFP/Getty Images

Machu Picchu fica no topo de uma montanha, a mais de 2.400 metros de altitude

AFP/Getty Images

Encerrado há quase sete meses, o sítio arqueológico de Machu Picchu voltou a abrir portas para receber um único turista. Jesse Takayama tinha viajado até ao Peru para cumprir o sonho de visitar as ruínas incas, mas foi apanhado pela pandemia do coronavírus.

Preso na localidade de Aguas Calientes, no sopé da montanha, desde meados de março, o japonês de 26 anos submeteu um pedido especial para que pudesse visitar o local antes de regressar ao seu país. Este foi aprovado pelo Ministério da Cultura peruano e a visita concretizou-se no domingo.

Takayama, professor de boxe em Osaka, chegou a Aguas Calientes a 14 de março, vindo de Cusco. Tinha bilhete para visitar Muchu Picchu a 16 de março, mas a declaração do estado de emergência no Peru um dia antes tornou impossível a entrada no sítio arqueológico, ainda encerrado. O japonês, que planeava ficar apenas alguns dias antes de continuar viagem por outras paragens sul-americanas, acabou por passar perto de sete meses em Aguas Calientes na expectativa de poder ver as ruínas, conta a agência de viagens Andrean Roots, com sede em Cusco, na sua página do Facebook.

Depois de uma longa espera, o turista japonês viu finalmente o seu pedido ser aprovado. Takayama visitou Machu Picchu este domingo, acompanhado pelo responsável pelo complexo, adiantou o ministro da Cultura, Alejandro Neyra, esta segunda-feira, de acordo com as agências de notícias internacionais.

Neyra adiantou ainda que as ruínas irão reabrir em novembro para turistas nacionais e estrangeiros, sem porém adiantar uma data concreta. Serão permitidos 30% dos visitantes habituais (a lotação máxima do local é de 675 pessoas por dia). “Ainda estamos no meio de uma pandemia. [A reabertura de Machu Picchu] será feita com todos os cuidados necessários”, afirmou o ministro.

O Peru tem 851.171 casos confirmados de Covid-19 e 33.357 mortes relacionadas com a doença, segundo a Johns Hopkins University. É o país com a maior taxa de mortalidade per capita e uma das nações sul-americanas mais afetadas pela pandemia.

A página está a demorar muito tempo.