Chama-se “#ApoiamosasnossasPME” e é a nova campanha lançada pelo Facebook nesta quinta-feira em Portugal, que pretende contribuir para a recuperação das Pequenas e Médias Empresas (PME) portuguesas. A campanha surge em parceria com a Associação Nacional das Pequenas e Médias Empresas (ANPME) e com o apoio institucional do Ministério da Economia e Transição Digital.

Através de um conjunto de recursos de formação focados na digitalização, a nova campanha integra o programa de formação do Facebook (“Boost with Facebook”) através de sessões online gratuitas que vão permitir, até ao final do ano, reunir três mil empresários portugueses para implementar ferramentas e estratégias digitais nos seus projetos. A 16.ª sessão deste programa realiza-se a 19 de outubro.

“O Facebook acredita que através de ferramentas digitais como as incluídas nesta campanha é possível acelerar a transformação digital durante a pandemia de Covid-19, e que existe capacidade nas empresas portuguesas para adaptarem as estratégias de negócio ao novo cenário socioeconómico”, refere a gigante tecnológica em comunicado.

Além dos recursos de formação, o Facebook lança ainda uma nova ferramenta de diagnóstico digital, que permite às empresas testar o seu nível de digitalização de forma gratuita, perceber quais são as maiores necessidades para uma maior presença online e, depois disso, receber uma estratégia personalizada. De acordo com a nota enviada, há um questionário com quatro segmentos: “Dar-se a conhecer”, “Ser encontrado facilmente”, “Captar clientes” e ainda “Fidelizar clientes”. Depois das respostas a estas quatro categorias, a ferramenta vai identificar qual a estratégia digital que deve ser adotada.

Em comunicado, o Facebook cita ainda o último relatório sobre o impacto da Covid-19 nas PMEs e indica que “as pequenas empresas que têm mais de 25% das suas vendas online têm maior probabilidade de terminar o ano com vendas superiores às de 2019”. No caso de Portugal, acrescenta, o último inquérito realizado em julho refere que “31% das PME portuguesas têm mais de 25% das suas vendas online” e que “existem sinais de uma ligeira recuperação económica para as PME em Portugal: 93% das empresas confirmam que estão em atividade – em maio eram apenas 77%; e 28% diz que a falta de dinheiro em caixa é um problema, o que também é uma melhoria”.

A situação que temos vivido provocou profundas mudanças sociais e empresariais, nas quais a tecnologia está a ter um papel fundamental. Durante o confinamento, muitas PME recorreram às nossas plataformas para acelerar a digitalização dos seus negócios e queremos continuar a ajudá-las neste processo, que será crucial para sobreviver neste novo cenário, assim como para a recuperação económica de Portugal”, refere Irene Cano, diretora-geral do Facebook em Portugal, citada em comunicado.

Paula Hespanol, vice-presidente da ANPME, explica também que “se o marketing digital e a transformação digital já era muito importante para as PME, neste momento de pandemia que estamos a atravessar torna-se essencial para a sua sobrevivência no mercado”.

O espaço online lançado esta quinta-feira inclui ainda três casos de PME portuguesas que o Facebook considera exemplos de “uma estratégia digital bem sucedida, seja porque conseguiram crescer em 2020 ou mesmo pelo sucesso de um negócio aberto em plena pandemia”. São eles Maria Figueira, que criou uma página no Instagram de venda de arranjos de flores chamada “Oh, Maria” e, quatro meses depois, abriu uma loja em Lisboa; Liliana Trindade, uma cozinheira do Porto que fundou a padaria “Trindade” e aumentou as encomendas através do Facebook durante a pandemia, tendo já investido num espaço comercial; e a “DiVERGE”, uma empresa online de calçado cofundada por João Esteves que só este ano conseguiu, através de uma estratégia de influenciadores e publicidade nas redes sociais, vender em 30 países.