Foram precisas mais de 350 fotografias individuais para criar a imagem do juvenil de peixe-zebra, com os ossos e vasos linfáticos fluorescentes, que venceu o concurso de microfotografia da Nikon de 2020. E muitas horas de dedicação e paciência para fotografar um embrião de peixe-palhaço em movimento sem deixar desfocar a imagem.

Além da beleza da imagem de peixe-zebra, o autor Daniel Castranova explica a importância do que ela revela: o peixe-zebra tem vasos linfáticos dentro do crânio. “Até agora, pensava-se que este tipo de sistema linfático associado ao sistema nervoso só existia nos mamíferos”, diz, citado no comunicado de imprensa. Esta descoberta permitirá usar o peixe-zebra como um modelo experimental do que pode acontecer na formação de vasos linfáticos de mamíferos e humanos.

Daniel Knop, que fotografou o desenvolvimento embrionário de um peixe-palhaço (Amphiprion percula), teve de lutar para conseguir imagens bem focadas de um embrião vivo e em movimento, desde poucas horas depois da fecundação até poucas horas antes do nascimento. O esforço valeu-lhe o segundo lugar.

Em terceiro ficou uma imagem de microscópio de Igor Siwanowicz que mostra um pormenor da rádula, o órgão dos caracóis equivalente à língua, que é usado para raspar os alimentos, como as algas na superfície das rochas.

Na sua 46.ª edição, o concurso de fotografia Nikon Small World Photomicrography Competition recebeu mais de duas mil entradas de cientistas, artistas e fotógrafos amadores de 90 países. Foram distinguidas 88 fotografias. Veja as 20 vencedoras na fotogaleria.