O apoio às empresas afetadas pelos incêndios de 15 de outubro de 2017 contam com uma taxa de execução, até ao momento, de 75,5%, de um apoio total do Estado de 106 milhões de euros, anunciou esta sexta-feira o Governo.

Os projetos no âmbito do REPOR – Sistema de Apoio à Reposição da Competitividade e Capacidades Produtivas correspondem a um investimento total de 135 milhões de euros e um apoio do Orçamento do Estado de 106 milhões de euros, tendo já sido executados cerca de 80 milhões de euros (75,5%), anunciou esta sexta-feira o Ministério da Coesão Territorial, em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

De acordo com a tutela, as Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Norte e do Centro têm aprovados 380 projetos no âmbito do programa REPOR. Segundo o ministério, os pagamentos são feitos pelas CCDR “à medida que as empresas vão apresentando os pedidos de pagamento”.

Esta sexta-feira, foi publicado um decreto que amplia o prazo para a conclusão das obras de reconstrução das empresas afetadas pelos incêndios, estendido agora até 31 de dezembro de 2021. O alargamento do prazo é justificado depois de a execução ter sido atrasada devido à pandemia da Covid-19.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em julho de 2019, de acordo com a CCDR do Centro, o nível de execução dos apoios ao abrigo deste programa situava-se nos 50%.

Cinquenta pessoas morreram devido aos incêndios de outubro de 2017, que destruíram empresas, casas, infraestruturas públicas, explorações agropecuárias e 290 mil hectares de floresta na região Centro.