O ministro das Infraestruturas veio esclarecer o alcance das declarações feitas esta quinta-feira no Parlamento quando deu como exemplo quatro rotas lançadas a partir do Porto e que estava a apresentar prejuízos. Num comunicado enviado às redações, Pedro Nuno Santos afirma que nunca disse que essas rotas — Amesterdão, Zurique, Milão e Ponta Delgada — fossem as únicas a dar prejuízo. Essas quatro rotas, acrescenta, foram introduzidas após as reuniões do grupo de trabalho que existiu entre a TAP e as associações da região Norte. ”

Na sequência de reações muito críticas vindas do norte, o comunicado lembra que o ministro disse na audição que a  “TAP está neste momento a perder dinheiro em praticamente todas as rotas, incluindo aquelas que se fazem a partir do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. Esse é, como é visível, o cenário em praticamente todo o setor da aviação”.

“Pelos vistos, são as quatro rotas do Porto que dão prejuízo à TAP”. Rui Moreira sugere reage a ministro: “Incorpore a TAP na Carris”

E clarifica que existem 11 rotas operadas pela TAP a partir do Porto e que, apesar de praticamente todas as companhias estarem a reduzir fortemente a operação no Inverno, a TAP vai manter 10 rotas no Porto. Ou seja, apenas uma a menos do que no Verão. “Isto demonstra o grande compromisso da companhia aérea pública com a região”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nas quatros destinos referidos para o Porto, “é importante sublinhar a lotação não atinge os 50%, o que não permite sequer pagar os custos variáveis da operação”.