Esta terça-feira, 20 de outubro, vai ser apresentada a primeira grande exposição de Ai Weiwei em Portugal. Aquele que é um dos mais reconhecidos artistas chineses da atualidade — e insistente opositor do regime de Pequim — vai ser protagonista de uma mostra que acontecerá em 2021.

Os detalhes serão conhecidos no Museu da Electricidade, em Lisboa (espaço que, está certo, não acolherá a exposição), a partir das 11h. A notícia foi primeiro avançada pelo Expresso e depois confirmada pelo próprio artista ao Público.

Incorporando o ativismo na sua obra multidisciplinar, que abrange a escultura, uma abordagem muito pessoal ao artesanato ou até intervenções de de gande dimensão no espaço público, Ai Weiwei foi mesmo detido pelos autoridades chinesas — cuja anti-democracia e antentados aos direitos humanos tem criticado -. em abril de 2011, durante 81 dias, sem ter sido formalmente acusado de qualquer crime. Atualmente, tem dividido morada entre diferentes países europeus, da Alemanha ao Reino Unido.

O seu mais recente trabalho de grande impacto foi o filme “Coronation”, através do qual descreve os efeitos do novo cornavírus em Wuhan, epicentro da pandemia: