O Presidente da Venezuela anunciou uma ampla reabertura do comércio e demais atividades económicas no país a partir desta segunda-feira, incluindo locais de diversão noturna e praias, encerrados desde meados de março devido à pandemia.

“A curva [das infeções] achatou-se e está a descer cada vez mais”, disse, no domingo, Nicolás Maduro, antes de explicar os setores que vão voltar a funcionar, após sete meses de encerramento, desde que foram detetados os primeiros casos e imposta uma quarentena em todo o país.

A lista de reabertura inclui lojas de brinquedos, lojas de móveis, pequenos outlets de diversos tipos, confeitarias, ourivesarias, casas de penhores, floriculturas, viveiros, restaurantes, cafés, e perfumarias, estabelecimentos que em alguns casos já começaram a funcionar apesar da proibição do governo.

Maduro anunciou que também vão reabrir lojas dedicadas exclusivamente à venda de licores, assim como espaços de diversão noturna e parques de diversões ou temáticos. A decisão também inclui spas, praias, pousadas, hotéis, eventos públicos em espaços abertos, drive-ins e outras atividades ao ar livre.

Sobre a reativação dos órgãos do Estado, Maduro anunciou que vão reabrir os serviços de identificação e imigração, ligados ao transporte terrestre e à defesa dos consumidores.

“Que ninguém baixe a guarda (…) não podemos reclamar vitória”, insistiu o Presidente, que pediu aos cidadãos para continuarem a usar máscara e a manter o distanciamento social, para poder aliviar outras restrições em dezembro, quando pretende reiniciar os voos internacionais.

A Venezuela somou 347 casos de coronavírus e cinco mortes no domingo, elevando o total para 736 mortes e 86.636 infetados desde o início da pandemia.