A Suécia vai proibir novos equipamentos dos grupos chineses Huawei e ZTE na nova rede de telecomunicações 5G como medida de segurança nacional e os já instalados terão de ser removidos até 01 de janeiro de 2025, foi esta terça-feira anunciado.

Num comunicado esta terça-feira divulgado, a Autoridade Sueca de Telecomunicações afirma que a proibição é a consequência de uma nova lei adotada no início do ano e da avaliação das autoridades militares e dos serviços secretos para “assegurar que a utilização das frequências não ponha em perigo a segurança da Suécia”.

A pátria da Ericsson, principal concorrente da Huawei, está assim a seguir a decisão britânica tomada em julho de proibir o grupo chinês, numa altura em que vários países europeus estão a fechar gradualmente a porta das suas redes de telecomunicações ou estão a considerar fazê-lo, na sequência das sanções dos Estados Unidos.

Em França, o fabricante chinês de equipamento não estará sujeito a uma proibição total no mercado 5G, mas os operadores que já utilizam Huawei terão autorizações de funcionamento limitadas a oito anos.

“Novas instalações em funções centrais para a utilização das bandas de frequência de rádio devem ser realizadas sem fornecedores Huawei ou ZTE”, escreve a autoridade sueca numa declaração.

Se a infraestrutura existente nas funções centrais fosse utilizada para oferecer serviços nas frequências em questão, os produtos da Huawei e ZTE teriam de ser removidos até 01 de janeiro de 2025, o mais tardar”.

Se estas funções da rede central forem “dependentes de pessoal ou funções localizadas no estrangeiro, estas dependências devem ser eliminadas e, se necessário, substituídas por pessoal ou funções na Suécia”, declara a autoridade.

A Huawei tornou-se em poucos anos o líder mundial em equipamento de redes de telecomunicações (antenas, etc.), com uma liderança significativa na 5G, e agora ultrapassa a Ericsson da Suécia e a Nokia da Finlândia em termos de quota de mercado.

A ZTE é também um dos principais fornecedores do mundo.

Quatro operadores foram selecionados no leilão sueco para frequências de 2,3 e 3,5 GHz para a futura rede 5G: o antigo operador histórico Telia, bem como Hi3G Access (mais conhecido sob a sua marca ‘3’, Net4Mobility (Telenor/Tele2), e o distribuidor audiovisual Teracom, relatórios PTS.

O leilão está agendado para começar em 10 de novembro.