O bastonário da Ordem dos Médicos disse esta segunda-feira que o Presidente da República está a fazer o que a ministra da Saúde devia ter feito e não fez, no que diz respeito às audiências relacionadas com a pandemia.

“O senhor Presidente da República decidiu, na minha opinião bem, e congratulo-o por isso, ouvir algumas instituições e algumas pessoas ligadas à saúde como o ex-ministro da Saúde. Ou seja, o senhor Presidente da República está a fazer o que a senhora ministra da saúde devia ter feito e não fez”, apontou Miguel Guimarães.

Em declarações aos jornalistas, após uma visita ao Centro Hospitalar Tondela Viseu (CHTV), o bastonário defendeu que, “numa altura crítica para o país” como a que se vive agora, com a pandemia, “é fundamental tirar partido do conhecimento que as pessoas, nas suas diversas áreas, podem ter para transmitir a quem lidera a saúde em Portugal”.

“O senhor Presidente da República resolveu fazê-lo e, obviamente, a Ordem dos Médicos irá ser recebida amanhã [terça-feira] e irá transmitir aquilo que são as suas principais preocupações“, acrescentou Miguel Guimarães.

Preocupações, adiantou o bastonário, “relativamente àquilo que são doentes Covid, doentes não-Covid e também relativamente à gripe sazonal, para a qual a vacinação parece, novamente, estar atrasada, o que é muito, muito mau nesta altura”.

O Presidente da República começou esta segunda-feira, com a ministra da Saúde, Marta Temido, uma série de audiências com responsáveis de instituições e outras personalidades, tendo como pano de fundo a pandemia de Covid-19.

A pandemia já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 40 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.198 pessoas dos 101.860 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.