456kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Boletim DGS. Segundo pior dia de sempre. É a quinta vez que se passa os 2 mil novos casos

Este artigo tem mais de 1 ano

Os dez dias com maior número de infetados são todos de outubro, embora em 10.º lugar apareça 10 de abril, o pico acentuado da 1.ª vaga (1.516 casos). Essa data incluía várias atualizações.

 Portugal acumula 40.804 diagnósticos positivos e 2.229 óbitos desde o início da pandemia
i

 Portugal acumula 40.804 diagnósticos positivos e 2.229 óbitos desde o início da pandemia

POOL/AFP via Getty Images

 Portugal acumula 40.804 diagnósticos positivos e 2.229 óbitos desde o início da pandemia

POOL/AFP via Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Vai ser um outubro de má memória. Os dez dias com mais infetados diários são todos deste mês do ano. Por cinco vezes se passou a fasquia de mais de 2.000 diagnósticos positivos por dia e por nove vezes se passou a dos mil. Esta quarta-feira, com os infetados das últimas 24 horas a chegarem aos 2.525 casos, vive-se o segundo pior dia da pandemia no que toca a propagação de infeções. Óbitos foram 16, 11 deles de pessoas com mais de 80 anos.   

Vamos começar pelas infeções. À vista desarmada, o dia 10 de abril aparece entre os 10 piores dias de sempre, em décimo lugar. Só que essa data, o pico bastante pronunciado daquilo a que os especialistas chamam ora a primeira vaga, ora a primeira fase da pandemia, conforme a escola de pensamento, não foi um registo de 24 horas. Esses 1.516 contágios, que esperaram por 10 de outubro para serem batidos (1.646), incluíam atualizações no número de novos casos o que fez disparar o valor.

Logo a seguir, em 11.º lugar, aparece outra data de outubro, o dia 9, com 1.394 infetados em 24 horas.

  • 16 de outubro: 2608
  • 21 outubro: 2535
  • 17 de outubro: 2153
  • 15 outubro: 2101
  • 14 outubro: 2072
  • 19 de outubro: 1949
  • 20 de outubro: 1876
  • 18 de outubro: 1856
  • 10 outubro: 1646
  • 10 abril: 1516
  • 9 outubro: 1394

[Mapa interativo. Pode passar o cursor sobre a imagem para ver mais dados]

Com os números avançados no boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde (DGS) desta quarta-feira —mais 1 óbito e mais 659 casos confirmados do que na véspera — Portugal acumula 40.804 diagnósticos positivos e 2.229 óbitos desde o início da pandemia. Outra marca que fica para outubro: depois de ter passado os 30 mil casos ativos (pessoas que à data estão infetadas), ultrapassa esta quarta-feira os 40 mil infetados. 

Já a 19 de outubro, passou outra barreira psicológica: desde o início da pandemia mais de 100 mil portugueses foram infetados, o que equivale a 1% da população do país.

16 mortes, mais de metade com mais de 80 anos

Nas últimas 24 horas, registaram-se também 16 mortes associadas à infeção do vírus da Covid-19 em Portugal, metade registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, quatro no Norte, duas no Centro, uma no Alentejo e uma no Algarve.

As vítimas mortais têm todas acima dos 60 anos de idade: 3 homens e 8 mulheres tinham mais de 80 anos, 1 homem e 3 mulheres estavam na faixa etária dos 70 as 79 anos e 1 homem tinha entre os 60 e os 69 anos de idade.

A Região Norte mantém a tendência dos últimos dias, a registar o maior número de contágios: mais 1.379 novos casos, contra os 1.106 da véspera. Nas últimas 24 horas, registaram-se também mais 863 infetados em Lisboa e Vale do Tejo (435 casos na terça-feira).

A região Centro contou mais 197 infeções (199 na véspera), no Alentejo foram mais 50 (contra 87) e no Algarve 41 (contra 35 de terça-feira). Nas ilhas, a Madeira contabilizou mais 4 diagnósticos positivos (11 na terça) e os Açores mais 1 (3).

Mais 1.272 internamentos e mais 1.340 recuperados

O boletim revela ainda que há 1.272 pessoas internadas devido à Covid-19 em Portugal, mais 35 casos do que na véspera. Destes doentes, 187 estão em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), mais 11 casos em relação aos números da véspera, o que significa que estão em situação crítica ou grave.

O número de internados é o mais alto de outubro e aproxima-se do valor mais alto de sempre — 1.302 a 16 abril.

O boletim mostra ainda que 63.238 pessoas recuperaram da infeção desde o início da pandemia no país. Só nas últimas 24 horas, registaram-se mais 1.340 casos de recuperação. Ontem foram 1.932, um dos valores mais elevados de sempre .

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.