Dark Mode 197kWh poupados com o Asset 1
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Boletim DGS. Segundo pior dia de sempre. É a quinta vez que se passa os 2 mil novos casos

Os dez dias com maior número de infetados são todos de outubro, embora em 10.º lugar apareça 10 de abril, o pico acentuado da 1.ª vaga (1.516 casos). Essa data incluía várias atualizações.

i

 Portugal acumula 40.804 diagnósticos positivos e 2.229 óbitos desde o início da pandemia

POOL/AFP via Getty Images

 Portugal acumula 40.804 diagnósticos positivos e 2.229 óbitos desde o início da pandemia

POOL/AFP via Getty Images

Vai ser um outubro de má memória. Os dez dias com mais infetados diários são todos deste mês do ano. Por cinco vezes se passou a fasquia de mais de 2.000 diagnósticos positivos por dia e por nove vezes se passou a dos mil. Esta quarta-feira, com os infetados das últimas 24 horas a chegarem aos 2.525 casos, vive-se o segundo pior dia da pandemia no que toca a propagação de infeções. Óbitos foram 16, 11 deles de pessoas com mais de 80 anos.   

Vamos começar pelas infeções. À vista desarmada, o dia 10 de abril aparece entre os 10 piores dias de sempre, em décimo lugar. Só que essa data, o pico bastante pronunciado daquilo a que os especialistas chamam ora a primeira vaga, ora a primeira fase da pandemia, conforme a escola de pensamento, não foi um registo de 24 horas. Esses 1.516 contágios, que esperaram por 10 de outubro para serem batidos (1.646), incluíam atualizações no número de novos casos o que fez disparar o valor.

Logo a seguir, em 11.º lugar, aparece outra data de outubro, o dia 9, com 1.394 infetados em 24 horas.

  • 16 de outubro: 2608
  • 21 outubro: 2535
  • 17 de outubro: 2153
  • 15 outubro: 2101
  • 14 outubro: 2072
  • 19 de outubro: 1949
  • 20 de outubro: 1876
  • 18 de outubro: 1856
  • 10 outubro: 1646
  • 10 abril: 1516
  • 9 outubro: 1394

[Mapa interativo. Pode passar o cursor sobre a imagem para ver mais dados]

Com os números avançados no boletim epidemiológico da Direção-Geral de Saúde (DGS) desta quarta-feira —mais 1 óbito e mais 659 casos confirmados do que na véspera — Portugal acumula 40.804 diagnósticos positivos e 2.229 óbitos desde o início da pandemia. Outra marca que fica para outubro: depois de ter passado os 30 mil casos ativos (pessoas que à data estão infetadas), ultrapassa esta quarta-feira os 40 mil infetados. 

Já a 19 de outubro, passou outra barreira psicológica: desde o início da pandemia mais de 100 mil portugueses foram infetados, o que equivale a 1% da população do país.

16 mortes, mais de metade com mais de 80 anos

Nas últimas 24 horas, registaram-se também 16 mortes associadas à infeção do vírus da Covid-19 em Portugal, metade registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, quatro no Norte, duas no Centro, uma no Alentejo e uma no Algarve.

As vítimas mortais têm todas acima dos 60 anos de idade: 3 homens e 8 mulheres tinham mais de 80 anos, 1 homem e 3 mulheres estavam na faixa etária dos 70 as 79 anos e 1 homem tinha entre os 60 e os 69 anos de idade.

A Região Norte mantém a tendência dos últimos dias, a registar o maior número de contágios: mais 1.379 novos casos, contra os 1.106 da véspera. Nas últimas 24 horas, registaram-se também mais 863 infetados em Lisboa e Vale do Tejo (435 casos na terça-feira).

A região Centro contou mais 197 infeções (199 na véspera), no Alentejo foram mais 50 (contra 87) e no Algarve 41 (contra 35 de terça-feira). Nas ilhas, a Madeira contabilizou mais 4 diagnósticos positivos (11 na terça) e os Açores mais 1 (3).

Mais 1.272 internamentos e mais 1.340 recuperados

O boletim revela ainda que há 1.272 pessoas internadas devido à Covid-19 em Portugal, mais 35 casos do que na véspera. Destes doentes, 187 estão em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI), mais 11 casos em relação aos números da véspera, o que significa que estão em situação crítica ou grave.

O número de internados é o mais alto de outubro e aproxima-se do valor mais alto de sempre — 1.302 a 16 abril.

O boletim mostra ainda que 63.238 pessoas recuperaram da infeção desde o início da pandemia no país. Só nas últimas 24 horas, registaram-se mais 1.340 casos de recuperação. Ontem foram 1.932, um dos valores mais elevados de sempre .

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.