A atividade da economia dos EUA manteve um crescimento “moderado” no último mês, com um aumento lento do emprego e sem recuperar o ritmo anterior anterior à pandemia, segundo o relatório mensal da Reserva Federal (Fed) esta quarta-feira divulgado.

O relatório, conhecido como “Livro Bege”, que recompila informação recente da economia do país, sublinha que a atividade “continuou aumentado com um ritmo leve a moderado” na maioria dos distritos analisados pelo banco central norte-americano.

Por setores, a atividade industrial subiu também a um ritmo “moderado”, enquanto os mercados de habitação residencial continuaram a experimentar “uma procura constante de casas novas e existentes”. Além disso, o gasto dos consumidores manteve-se positivo, o que denota que há dinheiro nos bolsos dos norte-americanos, e a atividade turística cresceu “ligeiramente” em alguns distritos do país.

Os custos da produção subiram, em geral, mais rápido que os preços no consumidor, especialmente os custos de materiais como madeira e aço. Do lado negativo, as condições dos imóveis comerciais “continuaram a deteriorar-se” em muitos distritos, “com exceção dos armazéns e espaços industriais onde a atividade de construção e arrendamento se manteve estável”, é referido.

Na semana passada, o FMI previu uma recessão de 4,3% em 2020 e uma recuperação de 3,1% em 2021 nos Estados Unidos. No entanto, a previsão para este ano é 3,4 pontos percentuais melhor do que o esperado em junho.