A Câmara de Reguengos de Monsaraz, no distrito de Évora, vai avançar com um investimento de 331 mil euros num projeto de reutilização de água residual para rega e águas de serviço, anunciou o município.

Numa nota enviada à Lusa, a autarquia alentejana refere que, com o crescimento das instalações do matadouro de porco de raça alentejana (Maporal), estima-se um volume diário de água residual tratada e rejeitada no meio hídrico de 700 metros cúbicos (700 mil litros) que poderá ser reutilizada pela autarquia. O projeto permitirá reduzir os consumos de água potável em usos como a rega de espaços verdes, lavagem de ruas e de viaturas, assim como a utilização da água tratada para águas de serviço, nomeadamente em higiene urbana e infraestruturas de esgotos domésticos e pluviais.

“A autarquia tem também como objetivos incrementar a reutilização das águas residuais tratadas para usos agrícolas ou urbanos compatíveis com a sua qualidade final e aumentar a resiliência do sistema de abastecimento de água em baixa do concelho, em períodos de escassez de água, de modo a adaptar o sistema às alterações climáticas”, acrescenta o comunicado a que a Lusa teve esta segunda-feira acesso.

Com este projeto, designado “Economia circular — reutilização de água residual tratada para rega e águas de serviço”, a Câmara de Reguengos de Monsaraz espera reduzir o consumo de água do sistema público de distribuição do concelho em 37.650 metros cúbicos (37 milhões e 650 mil litros) por ano, que representam, atualmente, um custo de 22.590 euros. O projeto prevê a “recolha e envio da água residual tratada (tratamento secundário) para a estação de tratamento terciário (avançado)”, bem como “o tratamento avançado da água residual tratada de modo a garantir qualidade de água de reutilização de classe A” e o “armazenamento e distribuição” para os pontos de rega e usos de serviços.

Desta forma, será construído um poço de recolha de água residual tratada de nove metros cúbicos (9.000 litros) e a bombagem e rede de transporte de água residual tratada, numa extensão de 750 metros, entre a estação de tratamento e águas residuais e a estação de tratamento terciário. Será ainda construído o equipamento de tratamento terciário, que inclui a montagem do sistema de filtração e desinfeção ultravioleta, de um reservatório de 250 metros cúbicos (250 mil litros), do sistema de recirculação e afinamento, do sistema de bombagem para a rede de distribuição e dos filtros de carvão e areia para a remoção final do cloro.

A implementação do projeto prevê também a construção da rede de distribuição de água residual tratada final, numa extensão de 340 metros, até aos pontos de entrega para a rega do Parque da Cidade, e para o sistema de entrega de água reutilizada para águas de serviço e lavagem de viaturas.