Várias avarias atingiram o segmento russo da Estação Espacial Internacional (EEI) na passada noite, mas a agência espacial russa alegou que a situação está sob controlo, apesar das múltiplas falhas verificadas recentemente.

Uma avaria colocou novamente fora de serviço o sistema russo de fornecimento de oxigénio e uma outra perturbou, pela segunda vez, o funcionamento das casas de banho, de acordo com a agência de notícias RIA Novosti, citando uma conversação entre os cosmonautas e o centro de controlo de voos espaciais. Desdramatizando o sucedido, a agência espacial russa Roscosmos indicou, em comunicado enviado à agência noticiosa francesa AFP, que as falhas ocorridas a bordo da EEI na passada noite foram “integralmente reparadas”, sendo que “todos os sistemas funcionam normalmente” e “nada ameaça a segurança da tripulação e do voo”.

As avarias têm sido, contudo, frequentes no setor russo da Estação Espacial Internacional. Uma avaria afetou durante várias horas as casas de banho em 11 de outubro, o sistema de fornecimento de oxigénio já tinha ficado fora de serviço na quarta-feira e uma fuga de ar aconteceu no fim de agosto, tendo sido só recentemente reparada em parte. Esta série de falhas levou o cosmonauta Guennadi Padalka, recordista no número de dias passados no espaço e condecorado como herói na Rússia, a afirmar que o segmento russo da EEI está velho. “Todos os módulos estão no limite”, disse, em declarações à RIA Novosti, assinalando que os equipamentos têm 20 anos e excederam em cinco a sua duração. O setor espacial russo foi atingido por diversos escândalos de corrupção e peculato e cortes orçamentais.