A produção e venda de carvão da Vale em Moçambique caíram cerca de um terço nos primeiros nove meses deste ano em comparação com período homólogo de 2019, segundo o relatório trimestral da empresa que reflete o impacto da Covid-19.

Ainda assim, o terceiro trimestre já mostrou melhorias em relação aos três meses anteriores.

A Vale é a principal empresa mineira de carvão em Moçambique, que por sua vez é o principal produto de exportação do país, sobretudo para a Ásia.

A produção de carvão na mina de Moatize, na província de Tete, interior centro de Moçambique, caiu 32,6% nos primeiros nove meses do ano, de 6,8 milhões de toneladas em 2019 para 4,6 milhões de toneladas este ano.

No mesmo período, as vendas tombaram 34,9%, de 6,7 milhões de toneladas para 4,3 milhões de toneladas.

A “depressão” na procura de carvão por via marítima “continua a influenciar os níveis de produção”, refere a empresa, uma vez que as reservas na mina e no porto de Nacala permanecem altas, “próximas dos limites de armazenamento das instalações”, descreve no relatório.

Apesar do cenário, no terceiro trimestre deste ano, a produção aumentou 9,3% em relação ao trimestre anterior, uma vez que não foram necessárias paragens operacionais adicionais, como a verificada em junho.

A empresa anuncia também a retoma dos planos de manutenção da mina que estavam previstos para este ano, graças à melhoria das condições logísticas, que tinham ficado condicionadas quando a pandemia foi declarada.

Com a maior flexibilidade no fluxo de bens, serviços e pessoas da região – o que possibilitou a logística de receção de equipamentos e materiais – e com base nos níveis de segurança mantidos nesta etapa, a Vale decidiu retomar o plano de manutenção em novembro de 2020″.

As equipas “já estão em mobilização” e prevê-se que a manutenção traga uma melhoria das condições operacionais para elevar a produção para 15 milhões de toneladas por ano.

Atualmente, a fábrica tem capacidade instalada para produzir 12 milhões de toneladas de carvão por ano, mas tem ficado aquém do valor: em 2018 produziu 11,5 milhões de toneladas e em 2019 produziu oito milhões de toneladas.

Moçambique tem um total acumulado de 11.331 casos de infeção pelo novo Coronavírus, 80% dos quais recuperados (9.165) e 79 mortes em sete meses de pandemia.