O ministro do Estado e dos Negócios Estrangeiros rejeitou esta sexta-feira a hipótese de voltar a encerrar as fronteiras devido ao agravamento da pandemia de Covid-19.

Questionado esta sexta-feira pelos jornalistas, à margem de um evento de comemoração dos 75 anos das Nações Unidas, sobre se equaciona fechar as fronteiras tendo em conta o aumento de casos na Europa, Augusto Santos Silva disse “não”.

Já há duas semanas os chefes dos Governos de Portugal e Espanha afastaram essa possibilidade, quando questionados pelos jornalistas à margem da 31.ª Cimeira Lusa-Espanhola, que se realizou na Guarda.

No entanto, a situação pandémica tem vindo a agravar-se e já esta sexta-feira o presidente do Governo Espanhol admitiu que o número real de casos de infeção pelo novo coronavírus no país seja o triplo dos dados oficiais, ou seja, em vez de rondar um milhão serão cerca de três milhões.

Numa declaração institucional, Pedro Sánchez considerou que a evolução da pandemia em Espanha é “grave” e avisou que os próximos meses “vão ser muito duros”.

O novo coronavírus já provocou quase 35 mil mortes em Espanha, desde o início da pandemia.

O número de infetados em Portugal ronda os 110 mil e o número de mortos ultrapassa os 2.200, segundo os dados divulgados pela Direção-Geral da Saúde.