O treinador do FC Porto frisou esta sexta-feira que os cinco pontos perdidos na I Liga de futebol são “recuperáveis” e que o encontro frente ao Gil Vicente poderá servir para dar a volta a um “momento menos bom”.

Sérgio Conceição revelou-se insatisfeito com a perda de pontos, ainda assim lembra que “há muito campeonato para disputar”.

“Acho que não deveríamos ter perdido cinco pontos. Pensar que, por um motivo ou outro no jogo, perdemos pontos? Obviamente que são recuperáveis, isto é uma maratona e ainda há muitos jogos e pontos em disputa”, disse o técnico na conferênca de imprensa de antevisão do jogo com o Gil Vicente, da quinta jornada da prova.

O técnico dos campeões nacionais acrescentou: “Exigentes como somos, não queremos deixar pontos de maneira nenhuma. Cabe-nos ir atrás e perceber que cada jogo é uma final para conseguirmos o principal objetivo do clube. Amanhã (sábado), temos a possibilidade de voltar às vitórias e de forma sólida. É o que quero da minha equipa.”

O responsável técnico dos ‘dragões’ sabe que a vitória é a melhor resposta para o momento menos bom que a equipa atravessa e lembra o caminho que o FC Porto “tem que percorrer”.

Como vamos dar a volta? Ganhando amanhã. Não podemos trabalhar mais ou menos ou estar mais ou menos motivados consoante determinados resultados. Temos um caminho a percorrer. Nem sempre tudo será um mar de rosas, vão acontecer situações menos agradáveis, cabe-nos ter confiança no trabalho e irmos à luta e ganhar jogos. Amanhã é o primeiro passo para dar a volta a um momento menos bom, acrescentou ainda.

Sérgio Conceição confirmou ainda que Luis Díaz não vai ser opção para o jogo com a equipa de Barcelos, enquanto Otávio continua em dúvida.

“Temos alguns problemas físicos. Neste momento, a recuperarão é essencial. Disse que mais vale jogar de três em três dias do que estarmos em casa fechados devido à pandemia, mas é difícil. Cria mossa nos jogadores, a pré-época foi curta. O Luis Díaz está fora, não está para este jogo, e o Otávio vamos ver. Cada hora pode ser importante na evolução dessa pequena mazela que ele tem”, disse.

Em relação ao adversário, Conceição recordou que “é uma equipa que ainda não perdeu”, mas frisou que o FC Porto está preparado. “O Gil Vicente ainda não perdeu e, salvo erro, só sofreu um golo em três jogos. É uma equipa bem organizada, que se organiza em 5-4-1 com centrais fortes e poderosos e com alas capazes de se desdobrar para o ataque. Tem uma dinâmica muito interessante. Não sei como será amanhã. A equipa e as individualidades do Gil Vicente estão identificadas, cabe-nos encaminhar o jogo para onde queremos”, concluiu.

Sérgio Conceição afirmou ainda que é normal que os jogadores que chegaram esta temporada ao FC Porto precisem de tempo de adaptação, para entrar na dinâmica do grupo.

“Não é fácil chegar a um clube como o FC Porto e entrar de caras, entrava Ronaldo, Messi e uma meia dúzia de jogadores, mas não é o caso”, disse, acrescentando:”O tempo agora é pouco. Houve jogadores que trabalharam um dia e tivemos o jogo com o Sporting. Não posso querer resultados imediatos com jogadores que estão a trabalhar só há três ou quatro dias. Mas há a pressão da conquista dos três pontos. Entre o jogo do Sporting e do City houve muito pouco tempo para trabalhar. Pouco tempo de recuperação. Aos poucos vamos passando a mensagem”, finalizou.

O FC Porto, segundo classificado, com sete pontos, recebe, pelas 20h30 de sábado, o Gil Vicente, 12.º, com cinco, em jogo da quinta jornada da I Liga portuguesa de futebol.