Durante a conferência dirigida aos accionistas, a Tesla confirmou as vendas recorde e os resultados financeiros a condizer, apesar da pandemia, e revelou que continua a apontar para um total de vendas no ano de 500.0000 unidades. Isto para dar um salto para cerca de 750 mil em 2021, já a contar com a linha do Model Y em Xangai a funcionar em pleno, ou quase, ela que está agora a produzir os primeiros veículos. Resultados da Gigafactory Berlim só serão visíveis em 2022, na mesma altura em que os primeiros modelos deverão começar a ser fabricados na mais recente fábrica da marca, a do Texas, destinada à Cybertruck e ao Semi, mas não só.

No meio de tantas novidades, a Tesla deixou sair uma informação inesperada, relativa aos Superchargers exclusivos para os modelos da Tesla, que agora estão na fase de evoluir dos V2, limitados a 150 kW, para os V3, já capazes de fornecer 250 kW. Mas, aparentemente, para as novas baterias 4680, a marca norte-americana está já a pensar em 350 kW, uma vez que não só as novas células de maiores dimensões têm menos tendência para aquecer, podendo suportar mais potência, como vêm aí veículos com maior capacidade de baterias, que necessitam de as recarregar mais depressa.

O camião eléctrico Semi é um desses exemplos, sendo o outro a Cybertruck, também ela com um pack de acumuladores generoso, para assegurar uma enorme autonomia apesar da potência e do peso. Outro destinatário para estes Superchargers V4 (será esta a denominação?) será o Model S Plaid, que poderá montar uma bateria muito próxima dos 200 kWh.

De recordar que a rede de postos de carga da Tesla conta já com 22.000 estações, com um total de 19.450 pontos de carga, o que dá uma média superior a 8,8 pontos de carga por área de serviço, o que permite à Tesla liderar a oferta em número de estações e de postos. E só durante o 3º trimestre foram inaugurados mais 146 estações e 1337 postos de carga.