Apesar do aumento dos novos casos de coronavírus e da pressão nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS), ainda nenhuma das cinco Administrações Regionais de Saúde (ARS) pediu ajuda aos hospitais privados, pelo menos aos três principais prestadores do país. A notícia é avançada pelo Expresso que detalha que não foi solicitada ajuda nem para os doentes com Covid-19, nem para os restantes pacientes, tendo sido apenas solicitada informação sobre a capacidade dos hospitais.

Até ao momento, apenas ARS do Norte pediu às unidades locais da Luz Saúde, CUF e Lusíadas Saúde informações sobre a capacidade disponível para, eventualmente, receberem utentes do SNS, não só os que estão infetados, mas também outros casos, adianta o mesmo jornal.

Estes pedidos foram feitos na semana passada, nomeadamente ao Hospital da Luz Arrábida, ao Hospital CUF Porto — que foi também questionado sobre a quantidade de ventiladores. Já especificamente ao grupo Lusíadas Saúde foi perguntado se as suas unidades na região Norte podiam reforçar a resposta para combater as listas de espera para cirurgia do Sistema Integrado de Gestão de Inscritos para Cirurgia, que permite que os utentes do SNS sejam tratados num hospital privado ou do setor social que tenha convenção com o Ministério da Saúde.

A 15 de outubro, em entrevista à TVI, a ministra da Saúde deixava a garantia de que estava a ser feita uma colaboração do SNS com os grupos privados. Ao Expresso, o gabinete da ministra reforçou essa mensagem, dizendo que o SNS está em contacto com os setores privado e social, aos quais vai recorrer se for necessário.

Marta Temido responde a carta aberta de médicos: “Porque é que nos estão a empurrar?”