O secretário-geral da ONU, António Guterres, apelou este sábado para uma “solução pacífica” pelo diálogo na crise pós-eleitoral da Guiné-Conacri, pedindo ao Presidente reeleito e ao seu adversário, que contesta os resultados, para prevenir a violência. “O secretário-geral exorta também os líderes de opinião e a imprensa a pôr fim a todos os discursos incendiários e aos apelos de uma dissidência de inspiração étnica”, declarou o seu porta-voz, num comunicado.

O opositor derrotado nas presidenciais da Guiné-Conacri, Cellou Dalein Diallo, anunciou hoje que vai contestar judicialmente a vitória do Presidente Alpha Condé nas eleições do passado domingo, numa entrevista à agência France Presse.

O anúncio este sábado pela comissão eleitoral da vitória do Presidente cessante de 82 anos, com 59,49% dos votos nas eleições de 18 de outubro, levou à violência na Guiné-Cronacri. O adversário Cellou Dalein Diallo, 68 anos, que se autoproclamou vencedor da corrida presidencial antes da publicação dos resultados, obteve 33,5% dos votos.

António Guterres apenas “tomou nota” dos resultados, enquanto condenava “veemente” a violência. “Ele reitera o seu apelo a todos os atores para que resolvam qualquer disputa eleitoral através de mecanismos jurídicos estabelecidos e se abstenham de qualquer violência”, acrescentou o seu porta-voz.

“Ele lançou um apelo, em particular ao Presidente da República da Guiné-Conacri e ao líder de oposição para que persuadam os seus apoiantes a porem imediatamente fim à violência e iniciem um diálogo construtivo para encontrar uma solução pacífica para a crise pós-eleitoral”, sublinhou.

“As Nações Unidas estão prontas para apoiar um processo de diálogo que visa uma solução rápida e pacífica para a crise pós-eleitoral” da Guiné-Conacri.