A Polícia moçambicana registou um valor recorde de abuso sexual de crianças, incluindo bebés, por idosos no centro do país, ao contabilizar 45 casos desde o início do ano, disse este domingo à Lusa fonte da corporação.

As estatísticas da província de Manica indicam que o número de crianças violadas, geralmente por parentes e vizinhos anciãos, motivados por “fins obscuros”, quase duplicou de janeiro a outubro de 2020, quando comparado com o período homólogo de 2019, disse Mateus Mindu, porta-voz da polícia. No caso, são considerados “idosos” os homens com mais de 60 anos.

Embora estejamos com frequência a desencorajar este tipo de práticas, parece que os homens (idosos) não acatam a mensagem”, queixou-se aquele responsável, garantindo que a corporação vai continuar “implacável” e a combater de forma cerrada o crime de violação sexual de menores.

O caso mais recente deu-se no último fim de semana, quando um ancião de 60 anos foi indiciado por violação sexual de uma bebé de 18 meses num subúrbio da cidade de Chimoio, no centro de Moçambique. O idoso, que foi detido pela polícia, aproveitou-se da boa relação de vizinhança com os pais da vítima para, na ausência destes e sem chamar a atenção dos restantes vizinhos do condomínio, levar a bebé para um quarto.

“Já foram realizados exames médicos à bebé e aguardamos pelo laudo da perícia para procedimentos subsequentes”, disse Mateus Mindu, adiantando que foi aberto um processo-crime contra o idoso.

Apelamos a todos os pais para que evitem deixar menores sob custódia de pessoas de conduta duvidosa e apelamos igualmente a todos os homens para respeitarem os direitos das crianças”, acrescentou.

Em declarações à Lusa, a mãe da menor disse que ficou desconfiada quando a criança se contorcia com dores ao tentar caminhar, depois de o ancião ter entregado a bebé, a chorar, à irmã, também menor.

“À hora de jantar tentei colocar a criança sentada nos meus pés, mas gemia de dores. Estranhei e levei-a para o quarto para ver o que estava a acontecer e descobri muito sémen nos órgãos genitais dela. Percebi que a criança tinha sido violada. Depois levámo-la para o hospital, onde ficou confirmado”, contou.

Ainda segundo os dados da Polícia, o distrito de Chimoio lidera a lista dos 11 distritos de Manica com o maior número de casos de violação sexual de menores, com 15 casos, e na cauda estão os distritos de Guro e Macossa, sem nenhum caso.