Os protestos de jovens em Hong Kong inspiraram ativistas de outras paragens do sudeste asiático, em Taiwan (outra jurisdição na órbita da China) e na Tailândia, conta o jornal britânico The Guardian. Em causa está a “Aliança Chá com Leite”.

O nome do movimento é inspirado por um elemento cultural comum, apesar de haver nuances: em Taiwan, o chá com leite bebe-se frio e com tapioca; em Hong Kong serve-se quente e forte; e na Tailândia leva gelo e leite condensado, explica o jornal britânico.

Três formas diferentes de preparação, tal como diferentes são as lutas travadas em cada um desses locais, sublinha o Guardian. Mas em comum (além do chá com leite) têm a vontade de lutar pela democracia.

Polícia usa canhões de água para dispersar manifestantes em Banguecoque

“Quando temos de ir contra um grande líder temos de ser criativos”, diz Netiwit Chotiphatphaisal, um estudante ativista de Bangkok, a capital tailandesa. “É atraente e as pessoas entendem que não é agressivo”.

O movimento foi ganhando forma pela internet nos últimos meses, mas cresce cada vez mais em protestos nas ruas ou nos tribunais, conta o jornal.

Em Hong Kong, os ativistas tentam obter junto do governo local, apoiado por Pequim, os direitos que foram prometidos na transição de poder do Reino Unido para a China. Em Taiwan, há uma longa disputa internacional em curso com as autoridades chinesas, que entendem que o território lhes pertence. E também na Tailândia, os estudantes estão a lutar por mais democracia.

Polícia detém quase três centenas de manifestantes em Hong Kong