O diretor de vendas da Huawei Consumo Portugal, Tiago Flores, disse esta terça-feira à Lusa que o consumo de dispositivos da marca “tem vindo a aumentar” em Portugal e que a empresa não sente qualquer limitação na sua atividade neste mercado.

Se compararmos todas as categorias, se incluirmos smartphones, tablets, computadores, smartwatches [relógios inteligentes], entre outros, “temos mais consumidores [portugueses] do que tínhamos no ano passado, razão porque” a aposta no “ecossistema é muito estratégico para nós”, afirmou o responsável, à margem da apresentação do novo telemóvel inteligente Mate40, em Lisboa.

Questionado sobre se os consumidores portugueses confiam na Huawei, tecnológica chinesa que tem estado no meio da “guerra” tecnológica entre os Estados Unidos e a China, Tiago Flores disse que “sim”.

“Independentemente da situação [a Huawei está a ser excluída do 5G em alguns mercados europeus], temos uma forte presença em Portugal, daí que todo o ecossistema [de oferta de dispositivos da marca] tem vindo a ser desenvolvido de forma muito rápida em Portugal”, salientou.

Em Portugal, “como referência, temos vindo a atingir mais de 10% de quota de mercado no negócio de computadores, temos uma posição muito sólida no negócio de smartwatches, estamos a atingir a primeira posição” nesta categoria, salientou Tiago Flores.

“Temos mais e mais consumidores a testar e a experimentar em todas categorias”, acrescentou, sublinhando que a Huawei em Portugal está a “construir uma posição forte no mercado” de dispositivos conectáveis, preparando-se para o futuro 5G.

Questionado sobre quais as preocupações que a marca sente em Portugal, tendo em conta as restrições que está a sofrer em alguns países europeus, sendo o caso mais recente a Suécia, que vai proibir os seus equipamentos, Tiago Flores disse não sentir limitações.

“Não estamos limitados em Portugal”, afirmou.

No que respeita ao 5G, “temos o estado de arte da tecnologia, mais de 20% das patentes de 5G são Huawei. São os nossos parceiros que nos pedem, não foi a Huawei que disse que sem” a marca chinesa “não era possível entregar 5G”, referiu.

Por sua vez, Sheng Yun, director da Huawei Consumo Portugal, salientou que os produtos da Huawei “são os melhores”. A tecnológica “sempre teve as melhores soluções seguras e isso é reconhecido pelos nossos parceiros”, referiu Sheng Yun.

A pensar no Natal, a Huawei, além o Mate40, considerado o “estado de arte do negócio das telecomunicações em termos de hardware e software”, segundo Tiago Flores, que inclui tecnologia 5G, a marca vai alargar a sua oferta no mercado português com outro tipo de dispositivos.

Desde óculos de sol conectáveis [que permitem ouvir música ou atender chamadas] ou uma escova de dentes, que não sendo da marca permite a conectividade com os dispositivos da Huawei, este é mais um passo no caminho do 5G, tecnologia que impulsionará a Internet das Coisas [o mesmo que dizer que todos os dispositivos estarão ligados entre si].

É um prova que a Huawei continua a investir, a trazer produtos avançados para o mercado, o nosso portefólio tem agora mais tecnologia conectada nas mãos do consumidor”, rematou Tiago Flores.