O Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro (CHTMAD) investiu 1,4 milhões de euros para reforçar a capacidade de resposta da Unidade de Cuidados Intensivos (UCI), em Vila Real, à pandemia de Covid-19, anunciou esta terça-feira a instituição.

O CHTMAD disse, em comunicado, que a UCI da unidade hospitalar de Vila Real reorganizou a área dedicada a doentes com infeção pela SARS-COV-2 com nove boxes com pressão negativa, ajustou e criou circuitos independentes e efetuou o upgrade do equipamento de monitorização. Acrescentou que reforçou também o número de ventiladores, bombas e seringas infusoras.

“O investimento efetuado de aproximadamente 1,4 milhões de euros materializou-se, portanto na reconversão de infraestruturas e no reforço de equipamentos nesta área hospitalar, dando resposta ao Plano de Contingência definido pela UCI do CHTMAD.”

Segundo o centro hospitalar, “entre outras vantagens, esta reestruturação contribui para a melhoria da qualidade dos cuidados prestados e para o aperfeiçoamento e manutenção do circuito do doente crítico, permitindo dar resposta adequada aos doentes Covid-19 e não Covid-19″. De acordo com o centro hospitalar, esta reestruturação teve um “caráter urgente e também preventivo” e visou “aumentar a capacidade de resposta aos cuidados de saúde prestados e reforçar a qualidade e segurança dos utentes e profissionais”.

Desde o início da pandemia, a UCI prestou assistência a 460 doentes (Covid-19 e não Covid-19). Atualmente, segundo o CHTMAD, encontram-se seis doentes internados por infeção SARS-COV-2. “O conselho de administração reconhece a importância deste investimento e das mais-valias que o mesmo traz para a capacidade de resposta à população a quem presta cuidados de saúde, que só foi possível com o esforço, dedicação e espírito de missão dos profissionais do CHTMAD”.

O CHTMAD tem sede social em Vila Real e agrega os hospitais de Chaves e Lamego. O distrito de Vila Real contabilizava na segunda-feira 436 ativos de infeção pelo novo coronavírus.