O Hospital de Santo António regista esta segunda-feira uma taxa de ocupação de camas dedicadas à Covid-19 de 93,3% em enfermaria e 72,7% em cuidados intensivos, de acordo com a atualização de dados daquela unidade hospitalar do Porto.

À data de hoje, segundo fonte deste hospital, estão 100 doentes internados com infeção pelo novo coronavírus, 16 dos quais em cuidados intensivos. “Quando tivermos de abrir mais camas, o hospital está preparado e tem a flexibilidade necessária para o fazer”, disse à agência Lusa fonte do Hospital de Santo António. A mesma fonte precisou atualmente existem seis vagas em enfermaria e seis vagas em cuidados intensivos, de um total de 90 e 22 camas, respetivamente.

“A localização de novas enfermarias dedicadas à Covid-19 depende da gestão dos doentes, sendo possível aumentar o número de camas”, frisou fonte do Centro Hospitalar Universitário do Porto (CHUP) que inclui o Hospital de Santo António.

Admitindo que “em cerca de 10 dias”, esta unidade hospitalar acolheu o dobro de infetados pelo novo coronavírus, o CHUP avançou que atualmente a média de idades dos doentes internados no Santo António é de 65 anos, sendo que o doente mais novo tem 22 e o mais velho 79.

“A atividade programada mantém-se sem adiamentos. O hospital tem conseguido manter o plano de cirurgias e de consultas”, acrescentou a mesma fonte.

Na quinta-feira, o Hospital de Santo António, no Porto, anunciou que iria disponibilizar a partir do fim de semana mais 17 camas para doentes Covid-19 ao abrir, para “antecipar a procura”, uma enfermaria da área de Medicina Interna. O CHUP referiu à agência Lusa que a abertura da “nova enfermaria” prendia-se com “questões estratégicas”.

Portugal contabiliza hoje mais 27 mortos relacionados com a Covid-19 e 2.447 novos casos confirmados de infeção, segundo o boletim epidemiológico da DGS. A região Norte continua a registar o maior número de novas infeções diárias, hoje com mais 1.633 casos, totalizando 51.932, e 1.030 mortos, dos quais oito nas últimas 24 horas, desde o início da pandemia em março.