A Tesla fez saber que as “aproximadamente 7000 unidades” de Model 3 produzidas na Gigafactory de Xangai, com destino à Europa, já estão a caminho. Trata-se exclusivamente da versão Standard Range Plus RWD e espera-se que cheguem aos portos belgas em finais do próximo mês, para serem entregues numa dezena de países, onde se inclui Portugal, a par de Alemanha, França, Itália, Países Baixos, Suíça e Suécia.

Originalmente, esta opção foi descartada pela marca liderada por Elon Musk, que pretendia que a Gigafactory asiática se concentrasse exclusivamente em abastecer o mercado local. Até que a Giga Berlim entrasse em funcionamento, ela que ainda está a ser construída, a Europa deveria receber a produção de Fremont, nos EUA. Sucede que esta unidade está a revelar-se incapaz de satisfazer a crescente procura no Velho Continente pela berlina eléctrica.

A mudança de planos acaba por ser benéfica para os clientes da marca norte-americana. Não só porque, à partida, recebem a unidade encomendada mais depressa, mas sobretudo porque há diferenças entre os Model 3 vindos da China e os fabricados nos EUA. A mais relevante prende-se com o facto de recorrerem a packs de células distintos.

As unidades vindas de Xangai “trabalham” com as baterias LFP de origem CATL, cuja química prescinde do oneroso cobalto, confiando no fosfato de lítio de ferro (LiFeP04), ao invés das conhecidas NCA, que a Tesla produz em parceria com a Panasonic (Níquel Cobalto Alumínio, sempre com o lítio como o elemento fundamental). A química é diferente, com vantagem para as células chinesas, com uma densidade energética inferior (e peso ligeiramente superior), mas com uma maior longevidade pela capacidade de resistir a um maior número de ciclos. Depois, porque as células da CATL são também mais acessíveis e isso, juntamente com o facto de que produzir o Model 3 na China sai mais barato do que produzir o modelo na América, leva a ter esperanças numa hipotética descida de preços. Na Alemanha, já há uma campanha com desconto de 2000€, tanto mais que o Model 3 chinês ainda não usufrui das ligeiras remodelações introduzidas nos Model 3 fabricados na Califórnia.

Outra das diferenças residirá na qualidade de construção, havendo vozes que alegam que o Model 3 produzido na China é notavelmente superior ao americano neste ponto (a fábrica é substancialmente mais recente do que a sua congénere americana, que foi a primeira montada pela Tesla), dando origem a menos problemas e queixas por parte dos clientes. A confirmar-se, isso faria maravilhas à imagem do construtor norte-americano junto dos consumidores europeus, cujos padrões para o premium são mais exigentes do que nos EUA.

Veja aqui um vídeo chinês sobre a Gigafactory Xangai, que já fabrica cerca de 4000 Model 3 por semana, e as exportações de Model 3 para a Europa. O primeiro navio vai transportar 7000 Model 3 para o mercado europeu, devendo aportar na Bélgica no final do próximo mês.