Os presidentes da Câmaras Municipais de Abrantes e de Constância congratularam-se esta terçcom a inclusão do IC9 e da nova ponte sobre o Tejo no Plano Nacional de Investimentos (PNI), apresentado quinta-feira pelo Governo.

“É motivo de grande satisfação porque, como todos sabemos, há muitos anos que estava prevista esta conclusão do IC9, que liga Nazaré a Ponte de Sor e o Médio Tejo ao Alentejo, de forma muito prática e funcional”, afirmou o presidente da Câmara de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos (PS).

O autarca notou que a construção da infraestrutura irá “alavancar e provocar o desenvolvimento” daquele município do distrito de Santarém e da região envolvente. O também socialista Sérgio Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Constância, disse, por sua vez, que a inclusão do IC9 no PNI “é um bom pontapé de partida, no sentido de se fazer uma nova travessia sobre o Tejo entre Constância e Abrantes“.

“É uma infraestrutura importante para ligar o Alto Alentejo a esta região”, acrescentou, sublinhando que o documento representa “apenas um plano nacional de investimentos” e é relativa a uma “construção que já constou de muitos planos e de muitos programas”.

O Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030, apresentado na quinta-feira pelo Governo, prevê a construção de uma ligação rodoviária da A23 ao IC9 e IC13, entre Abrantes e Ponte de Sor, incluindo uma nova ponte sobre o Tejo, a ligar as duas margens algures entre Constância e Abrantes, dois municípios contíguos e com freguesias em ambas as margens do rio.

O projeto, inscrito em Plano Rodoviário Nacional (PRN) desde o ano 2000, prevê a nova travessia sobre o Tejo entre Abrançalha (Rio de Moinhos) e Tramagal, localidades do concelho de Abrantes, sendo que a localização exata da nova ponte não é consensual entre os autarcas.

“Esta ponte sofreu a determinada altura um estudo de impacto ambiental, a sua localização está perfeitamente definida naquilo que é o Plano Rodoviário Nacional”, afirmou Manuel Jorge Valamatos, mnifestando acreditar que apesar de serem “estudos que já levam alguns anos”, os mesmos “serão a base e o suporte daquilo que vai a implementação desta ponte”.

Já para o autarca de Constância, a construção de “uma única nova ponte sobre o Tejo pode resolver o problema de três municípios” [Constância, Abrantes e Chamusca], tendo defendido que a mesma “deve ser construída entre a estação ferroviária de Santa Margarida da Coutada e a Ribeira de Alcolobre, na margem sul, no concelho de Constância, e no lado norte deveria ser no nó que já existe, e que já fica no concelho de Abrantes”.

“É óbvio que isto tem de obedecer a estudos técnicos e há níveis de decisão que não são políticos, mas acho que é uma infraestrutura que serviria toda a região e contribuiria para o seu desenvolvimento”, frisou Sérgio Oliveira.