O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohammad Javad Zarif, condenou esta quinta-feira “firmemente” o ataque com uma faca que provocou três mortes numa igreja no centro de Nice (sul de França).

“Condenamos firmemente o ataque terrorista de hoje em Nice. É preciso travar esse círculo vicioso que não para de se agravar, com discursos de ódio, provocações e violência. Haja racionalidade e bom senso. Devemos reconhecer que o radicalismo só gera mais radicalismo e que a paz não pode ser obtida com provocações feias”, escreveu Zarif na rede social Twitter

Três pessoas, entre elas duas mulheres, foram apunhaladas mortalmente esta quinta-feira de manhã por um jovem numa igreja no centro de Nice.

Atentado em França. Suspeito será jovem tunisino de 21 anos

Em causa estão também as declarações do Presidente francês, Emmanuel Macron, que defendeu vigorosamente os valores laicos e do direito de rir com a religião após um professor ter sido assassinado a 16 deste mês, perto de Paris, por ter apresentado caricaturas do profeta Maomé numa aula sobre liberdade de expressão.

As declarações de Macron desencadearam uma onda de manifestações na maioria dos países árabes e resultaram também num boicote á compra de produtos franceses.

Quarta-feira, o Presidente iraniano, Hassan Rohani, advertiu que insultar o profeta Maomé encoraja “a violência e a efusão de sangue”.