Numa altura em que a economia global continua em derrapagem devido à pandemia, as quatro big tech norte americanas apresentaram lucros líquidos combinados na ordem dos 38 mil milhões de dólares (cerca de 32 mil milhões de euros). Os dados, conhecidos na quinta feira, mostram que os efeitos da contração económica parecem continuar a deixar imunes os negócios de Jeff Bezos (Amazon), Mark Zuckerberg (Facebook), Tim Cook (Apple) e Sundar Pichai (Google).

A Amazon registou vendas recordes e um aumento de quase 200% nos lucros, à medida que a pandemia acelerou a transição das compras offline para o online. A empresa viu as vendas crescerem 37% no terceiro trimestre do ano, para 96,1 mil milhões de dólares (82 mil milhões de euros), enquanto as receitas da divisão de computação em nuvem da empresa, a AWS, subiam 29% para 11,6 mil milhões de dólares (9,9 mil milhões de euros). Só a AWS contribuiu para mais de metade (3,5 mil milhões de de dólares) dos resultados operacionais da Amazon, que, no final do trimestre, somaram 6,2 mil milhões de dólares (5,2 mil milhões de euros).

Já o Facebook reportou um aumento de 22% nas receitas, totalizando 21,5 mil milhões de dólares (18,3 mil milhões de euros) no último trimestre, impulsionado principalmente por um aumento de 22% nas vendas de publicidade. O resultado foi um salto de 12% na receita operacional para 8 mil milhões de dólares (6,8 mil milhões de euros). A estes números junta-se o aumento de utilizadores ativos diários e mensais, de 1,8 mil milhões para e 2,7 respetivamente. Uma expansão na ordem dos 12% em relação ao período homólogo de 2019.

Para a Alphabet, o aumento de 14% das receitas do terceiro trimestre (para os 46,2 mil milhões de dólares) superou as expetativas dos analistas. O crescimento justificou-se principalmente com as pesquisas e publicidade no Google e no YouTube e o Google Cloud, todos com um forte crescimento nas vendas. O resultado foi um aumento de 22% na receita operacional que se fixou nos 11,2 mil milhões de dólares (9,5 mil milhões de euros).

Por sua vez, também a Apple aumentou as vendas líquidas, fechando o terceiro trimestre com 64,7 mil milhões de dólares (55,2 mil milhões de euros). O crescimento assenta maioritariamente nas vendas de computadores Mac (29%) e no salto de 46% nas vendas de iPad, justificado pela procura do aparelho em tempo de pandemia. Estas subidas contrastaram com a queda de 21% nas vendas do iPhone e de as vendas líquidas terem diminuído 28% na China.

Contudo, e apesar dos resultados, os investidores não ficaram convencidos. Na manhã desta sexta feira, em consequência direta, as ações da Amazon caíam 4%, enquanto as do Facebook e Apple desciam 5 por cento. Em situação oposta estão as ações da Alphabet — os títulos da empresa mãe da Google saltaram 8% na abertura do mercado.