As contas são feitas à média de casos registados nos últimos 14 dias por 100 mil habitantes, um critério usado em todo o mundo. Assim, todos os concelhos com mais de 240 casos segundo esta taxa (que é neste momento de 404,5 no país), passam a ser considerados de risco elevado e, por isso, sujeitos a novas restrições para conter a propagação do novo coronavírus. Assim, além dos três concelhos do norte onde já vigoravam medidas mais restritivas, serão agora 121 aqueles onde serão aplicadas regras mais restritivas para conter a pandemia do novo coronavírus. Entre eles estão todos os da Grande Lisboa e do Grande Porto. E num total serão abrangidas 7,1 milhões de pessoas.

O primeiro-ministro António Costa anunciou este sábado que nestas zonas vai impôr-se o dever cívico de recolhimento domiciliário, os eventos e celebrações serão limitados a 5 pessoas (salvo se do mesmo agregado familiar) e o teletrabalho passa a ser obrigatório — e, na sua impossibilidade, terá de existir desfasamento de horários. Todos os estabelecimentos comerciais terão de encerrar às 22h00 (com exceção para os take away, farmácias, consultórios e clínicas, funerárias, postos de abastecimento e rent-a-car), enquanto os restaurantes passam a fechar às 22h30 (com mesas para um máximo de seis pessoas). Feiras e mercados de levante serão proibidas.

Veja aqui os 121 concelhos onde se aplicam estas medidas:

  1. Alcácer do Sal
  2. Alcochete
  3. Alenquer
  4. Alfândega da Fé
  5. Alijó
  6. Almada
  7. Amadora
  8. Amarante
  9. Amares
  10. Arouca
  11. Arruda dos Vinhos
  12. Aveiro
  13. Azambuja
  14. Baião
  15. Barcelos
  16. Barreiro
  17. Batalha
  18. Beja
  19. Belmonte
  20. Benavente
  21. Borba
  22. Braga
  23. Bragança
  24. Cabeceiras de Basto
  25. Cadaval
  26. Caminha
  27. Cartaxo
  28. Cascais
  29. Castelo Branco
  30. Castelo de Paiva
  31. Celorico de Basto
  32. Chamusca
  33. Chaves
  34. Cinfães
  35. Constância
  36. Covilhã
  37. Espinho
  38. Esposende
  39. Estremoz
  40. Fafe
  41. Felgueiras
  42. Figueira da Foz
  43. Fornos de Algodres
  44. Fundão
  45. Gondomar
  46. Guarda
  47. Guimarães
  48. Idanha-a-Nova
  49. Lisboa
  50. Lousada
  51. Loures
  52. Macedo de Cavaleiros
  53. Mafra
  54. Maia
  55. Marco de Canaveses
  56. Matosinhos
  57. Mesão Frio
  58. Mogadouro
  59. Moimenta da Beira
  60. Moita
  61. Mondim de Basto
  62. Montijo
  63. Murça
  64. Odivelas
  65. Oeiras
  66. Oliveira de Azeméis
  67. Oliveira de Frades
  68. Ovar
  69. Paços Ferreira
  70. Palmela
  71. Paredes de Coura
  72. Paredes
  73. Penacova
  74. Penafiel
  75. Peso da Régua
  76. Pinhel
  77. Ponte de Lima
  78. Porto
  79. Póvoa de Varzim
  80. Póvoa do Lanhoso
  81. Redondo
  82. Ribeira da Pena
  83. Rio Maior
  84. Sabrosa
  85. Santa Comba Dão
  86. Santa Maria da Feira
  87. Santa Marta de Penaguião
  88. Santarém
  89. Santo Tirso
  90. São Brás de Alportel
  91. São João da Madeira
  92. São João da Pesqueira
  93. Sardoal
  94. Seixal
  95. Sesimbra
  96. Setúbal
  97. Sever do Vouga
  98. Sines
  99. Sintra
  100. Sobral de Monte Agraço
  101. Tabuaço
  102. Tondela
  103. Trancoso
  104. Trofa
  105. Vale da Cambra
  106. Valença
  107. Valongo
  108. Viana do Alentejo
  109. Viana do Castelo
  110. Vila do Conde
  111. Vila Flor
  112. Vila Franca de Xira
  113. Vila Nova de Cerveira
  114. Vila Nova de Famalicão
  115. Vila Nova de Gaia
  116. Vila Pouca de Aguiar
  117. Vila Real
  118. Vila Velha de Ródão
  119. Vila Verde
  120. Vila Viçosa
  121. Vizela

Este é o quadro resumido das restrições nestes concelhos:

A decisão sobre quais os concelhos que seriam abrangidos pelas novas medidas teve por base três critérios:

— 240 novos casos por cada 100.000 habitantes nos últimos 14 dias;

— a proximidade com um outro concelho que preencha o primeiro critério;

— e a não consideração de surtos em concelhos de baixa densidade (como Sobral de Monte Agraço ou Tabuaço)

E este o mapa que mostra onde ficam estes 121 concelhos:

As exceções às restrições são sair para ir trabalhar, ir à escola, ir ao médico ou à farmácia, ir às compras, fazer o serviço ou tarefas essenciais.