Cinco guardas prisionais, dois enfermeiros e uma médica em serviço no Estabelecimento Prisional do Porto, conhecido por cadeia de Custóias e situado em Matosinhos, estão infetados com o novo coronavírus, informaram esta terça-feira os Serviços Prisionais.

De acordo com fonte oficial da Direção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP), também no Estabelecimento Prisional do Porto, especificamente numa ala exclusiva para reclusos infetados com Covid-19 de todo o país, encontram-se 11 oriundos de outras cadeias.

“Releve-se que neste espaço destinado ao internamento de casos Covid-19, o acesso é restrito a profissionais que se encontram equipados com todos os requisitos exigidos pela Direção Geral de Saúde”, afirma a DGRSP.

A Direção Geral sublinha que “não há qualquer surto de Covid-19 ativo em nenhum estabelecimento prisional e que os reclusos positivos, genericamente provindos da sociedade (vindos da liberdade e/ou de saídas jurisdicionais) são afetos a distintos estabelecimentos prisionais”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na quinta-feira, fonte oficial da DGRSP disse à Lusa que dois profissionais de saúde e quatro guardas da cadeia de Custóias apresentavam teste positivo para o novo coronavírus, aguardando-se o resultado da testagem a mais 24 guardas. A fonte distinguiu as situações, explicando que os reclusos levados para Custóias de outras cadeias para confinamento “encontram-se internados na zona especificamente destinada a estes casos”, nos Serviços Clínicos.

Portugal contabiliza hoje mais 45 mortos relacionados com a covid-19 e 2.596 novos casos confirmados de infeção, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o boletim  divulgado esta terça-feira, Portugal já contabilizou 149.443 casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus e 2.635 óbitos.