As forças de segurança belgas detiveram dois menores, entre 16 e 17 anos, suspeitos de prepararem um ataque terrorista, anunciou esta quinta-feira a Procuradoria Federal da Bélgica.

Os dois suspeitos foram detidos em 31 de outubro após buscas realizadas nas cidades de Eupen e La Calamine, localizadas na província de Liege, na Bélgica.

A Procuradoria disse que ambos são suspeitos de “tentativa de assassínio terrorista e participação em organização terrorista”.

Os dois menores foram colocados num centro de proteção à juventude até serem apresentados a um juiz.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A Procuradoria indicou que não irá falar sobre o caso para preservar a vida privada e a evolução psicológica dos menores envolvidos.

A televisão belga RTBF referiu que os agentes de segurança encontraram um vídeo em que jovens declaravam obediência ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI), situação que ainda não foi confirmada pelas autoridades.

As prisões ocorreram antes do ataque perpetrado na última segunda-feira por outro autointitulado militante do EI, em Viena, e depois de a França ter sido palco de vários atentados, incluindo o do professor Samuel Paty, e ataque ocorrido em Nice que deixou três mortos em 29 de outubro.

O professor francês Samuel Paty foi decapitado por um jihadista russo-checheno no dia 16 de outubro, nos arredores de Paris, em França, por ter mostrado uma caricatura do profeta Maomé durante uma aula sobre liberdade de expressão.

Atualmente, a Bélgica está no nível de alarme antiterrorismo 2 numa escala de 4, ou seja, há “uma ameaça improvável, mas não inexistente”, segundo o órgão que faz essa classificação (OCAM).

O segundo nível de alarme está a ser mantido desde janeiro de 2018, após a Bélgica ter estado em alerta máximo após os ataques em Paris e Bruxelas em novembro de 2015 e março de 2016, respetivamente.