A Covid-19 continua a espalhar-se e a um ritmo cada vez mais acelerado na Europa. Esta quinta-feira, vários países do continente europeu anunciaram ter contabilizado um registo máximo de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus em 24 horas.

França e Itália encabeçam a lista de países onde o número de casos de contágios detetados nas últimas 24 horas equivale a um pico máximo desde o início da pandemia. Não foram, porém, os únicos: também na Grécia, na Suécia, na Ucrânia, na Polónia e na Áustria o recorde máximo de infeções confirmadas em 24 horas foi atingido.

Em Portugal, a atualização diária de casos e óbitos tornou as últimas 24 horas (de quarta-feira) o segundo pior dia da pandemia em número de infeções e em mortes.

Boletim DGS. Segundo pior dia da pandemia — em número de mortes e de novas infeções

França e Itália: 58.046 casos num, 34.505 noutro

Em França, as autoridades de saúde reportaram esta quinta-feira à tarde mais 58.045 casos confirmados de infeção, detetados ao longo do último período definido de 24 horas. A estes somam-se mais 363 mortes contabilizadas no mesmo período.

O último recorde máximo de casos detetados em 24h tinha sido registado no início da semana: 53.238 infetados.

Desde o início da pandemia, França contabiliza já mais de um milhão e seiscentos mil infetados — 1.601.367, mais especificamente — e quase 40 mil mortes — de forma exata, 39.037.

Também em Itália foi superado nas últimas 24 horas o recorde máximo de casos confirmados de infeção. O último balanço diário, anunciado esta quinta-feira, dá conta da deteção de mais 35.505 infetados. O último recorde tinha sido atingido a 30 de outubro, quando o país registou 31.756 casos.

Já o número de vítimas mortais foi 445. Desde o início de maio — dia 2 — que Itália não reportava mais de 400 mortes em 24 horas, tendo sido atingido um máximo de óbitos em 24 horas desta segunda vaga.

Itália, recorde-se, foi um dos primeiros focos de crescimento da pandemia no mundo e um dos países onde o impacto da Covid-19 na mortalidade foi maior: faz parte do top 20 de países do mundo com mais mortes por milhão de habitantes. Ao todo, morreram 40.192 pessoas infetadas com o vírus SARS-CoV-2 desde o início da pandemia, havendo registo de 824.879 infeções confirmadas.

Recordes na Grécia, na Suécia e na Polónia

Outro país onde foi batido um recorde máximo de casos de infeção detetados em 24 horas foi a Grécia. Foram contabilizados esta quinta-feira 2.917 novos casos. E foi o segundo dia consecutivo em que foi batido o recorde de infetados no país: esta quarta-feira tinham sido anunciadas no país 2.646 infeções. Este sábado, 7 de novembro, o país volta a entrar em confinamento.

Também na Suécia foi batido um recorde máximo de infeções em 24 horas. Esta quinta-feira, as autoridades do país anunciaram que a última contabilização diária reportava 4.034 novos casos. Trata-se do “mais recente de um conjunto de recordes nos últimos dias”, refere a agência Reuters.

Onde também foi batido o recorde anterior de infetados detetados em 24 horas foi na Polónia. As autoridades do país anunciaram ter contabilizado 27.143 novos casos. É o segundo dia consecutivo em que é batido o recorde de infeções detetadas em 24 horas desde o início da pandemia: na véspera, as autoridades de saúde anunciaram ter atingido um pico nunca antes visto de 24.692 novos casos.

Ucrânia e Áustria também com recordes

A Ucrânia foi outro país onde foi atingido um recorde de casos detetados em 24 horas pelo segundo dia consecutivo. Ao todo, foram contabilizados mais 9.850 infetados. No dia anterior, já tinha sido anunciado um pico máximo em 24 horas desde o início da pandemia: 9.524. Desde a chegada da pandemia, há registo de 430.467 pessoas com Covid-19.

Com um novo confinamento já em curso, também na Áustria foi reportado um pico máximo de casos de infeção em 24 horas. As autoridades de saúde anunciaram ter detetado mais 7.416 infeções, atingindo assim um total de 132.515 infetados desde o início da pandemia.

Já na República Checa as autoridades locais anunciaram esta quinta-feira de manhã um novo pico máximo de casos em 24 horas: 15.729. O número total de infeções desde o início da pandemia aumentou assim para 378.716.

Em Espanha, a atualização diária não trouxe um pico máximo de infeções desde o início da pandemia (foram detetadas mais 9.606), mas trouxe um recorde de óbitos diários desde o início da segunda vaga: 368 mortes.