Michael Theriault, polícia de Toronto, no Canadá, foi condenado a nove meses de prisão pela agressão a Dafonte Miller um jovem negro, em dezembro de 2016. Na sequência das agressões feitas por Michael Theriault e pelo irmão, Dafonte Miller acabou por perder o olho.

Michael Theriault, polícia de folga na manhã de 28 de dezembro de 2016, e o irmão Christian, perseguiram Dafonte Miller — à data com 19 anos — até o ter encurralado entre duas casas em Whitby, Ontario, onde o espancaram com tanta violência que levou à perda do olho esquerdo de Dafonte Miller.

No momento em que proferiu a sentença, o juiz Josehh Di Luca disse que era impossível ignorar “o contexto racial em que o crime aconteceu” e que acreditava nas “hipóteses de reabilitação” do polícia. O irmão, Christian, acabou por ser absolvido em junho.

Depois dos nove meses de prisão, Michael Theriault terá ainda de cumprir 12 meses de liberdade condicional e fica proibido de uso e porte de arma durante cinco anos.

Numa carta lida em Tribunal, Dafonte Miller apontava os efeitos a longo prazo da agressão que sofreu no final de 2016 que “alterou para sempre a visão que tinha da polícia” e do abuso de poder que “nunca tinha sentido”.

“Ninguém questionou. Eu era digno de suspeita… Pela cor da minha pele”, escreveu Miller na declaração lida em tribunal em setembro.