Depois de uma primeira vaga da pandemia que praticamente não afetou as prisões portuguesas, foi agora detetado o primeiro surto de Covid-19 no Estabelecimento Prisional feminino de Tires: há 121 reclusas e dois trabalhadores infetados, até ao momento. A informação foi avançada pelo Correio da Manhã e confirmada pelo Observador junto de fonte oficial da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP).

Depois de terem sido detetados quatro casos de infeção, decidiu-se testar 320 pessoas de dois pavilhões da prisão de Tires — incluindo as reclusas que se encontram na “Casa das Mães” e os filhos que as acompanham. Na quinta-feira foram realizados 169 testes e ao início da manhã desta sexta-feira, começaram a chegar alguns resultados dos testes: 66 deram positivo ao novo coronavírus. Ao final da manhã, mais 55 casos positivos — o que perfaz um total de 121 casos positivos.

As reclusas infetadas, apesar de assintomáticas, foram colocadas num dos pavilhões da cadeia, onde ficarão em isolamento e afastadas da restante população prisional, “sob vigilância e acompanhamento de pessoal clínico do Hospital Prisional que foi para o efeito convocado”, indica a DGRSP.

Além das 121 reclusas, há ainda um caso positivo de Covid-19 de um guarda e outro de um profissional de saúde. Ainda assim, o Estabelecimento Prisional de Tires vai realizar uma “nova testagem de todos os trabalhadores”.

Noutras prisões, há 95 casos de Covid-19 — mais 40 do que há uma semana

Além dos casos registados na cadeira de tires, há ainda outros 95 noutros estabelecimentos prisionais do país. Desses, 65 casos são trabalhadores, 28 são reclusos e dois são jovens internados em Centros Educativos. Isto significa que noutras prisões o número de casos de Covid-19 tem aumentado já que, há uma semana, havia apenas 55 infeções — havendo assim um aumento de 40 casos em sete dias.

Prisões portuguesas já tiveram 167 casos de Covid-19 desde o início da pandemia. Atualmente, há 55 infetados