Apesar da resistência de Donald Trump, que continuava ao final deste sábado a contestar os resultados eleitorais, foram vários os líderes de países ou de organizações internacionais que rapidamente reconheceram ao longo da tarde a vitória de Joe Biden e Kamala Harris nas eleições americanas.

O Partido Democrata celebrou a vitória, prometendo trabalho, união e garantindo que está em causa “a alma da América”. Há políticos republicanos a dar os parabéns a Joe Biden. E sucedem-se em catadupa as reações de celebridades ligadas às mais diversas áreas, na política, nos negócios, no espetáculo ou no desporto.

União Europeia, NATO e BCE foram rápidos a dar os parabéns a Biden

Algumas das principais organizações internacionais, entre as quais a União Europeia, o Banco Central Europeu e a NATO, não perderam muito tempo a dar os parabéns ao novo presidente americano.

Na União Europeia, a presidente da Comissão, Ursula von der Leyen, deu “os parabéns de forma calorosa a Joe Biden e Kamala Harris pela sua vitória nas eleições americanas”, sublinhando que “a União Europeia e os EUA são amigos e aliados”. “Os nossos cidadãos partilham as ligações mais profundas. Espero com expectativa trabalhar com o presidente eleito Biden“, escreveu no Twitter.

Ainda entre instituições comunitárias, o presidente do Parlamento Europeu deseja felicidades a Joe Biden e Kamala Harris, dizendo que “o mundo precisa de uma relação forte entre a Europa e os EUA — especialmente nestes tempos difíceis”.

David Sassoli diz esperar com expectativa trabalhar com Joe Biden para “combater a Covid-19, as mudanças climáticas e as crescentes desigualdades”.

Já o presidente do Conselho Europeu garantiu que a UE está pronta para uma “parceria transatlântica forte”. Charles Michel deu os parabéns a Joe Biden e Kamala Harris, deixando a agenda conjunta para os próximos tempos:Covid-19, multilateralismo, alterações climáticas, comércio internacional“.

A presidente do Banco Central Europeu sublinhou a conquista histórica de Kamala Harris como “a primeira mulher vice-presidente dos EUA”. Christine Lagarde dá os parabéns e deseja sucesso à nova vice-presidente e a Joe Biden para “enfrentar os desafios tremendos que se avizinham

Na NATO, o secretário-geral Jens Stoltenberg disse conhecer bem o novo presidente americano como um “forte apoiante das relações transatlânticas”.

Numa declaração à imprensa em Bruxelas, citada pela agência Lusa, o líder da Organização do Tratado do Atlântico Norte afirmou que “a liderança dos EUA é tão importante como sempre num mundo imprevisível”, e por isso disse estar “ansioso por trabalhar de perto” com a nova administração para “reforçar ainda mais os laços entre a América do Norte e a Europa”.

“Juntos, os aliados da NATO representam quase mil milhões de pessoas, metade do poder económico mundial e metade do poder militar mundial. Precisamos desta força coletiva para lidar com os muitos desafios que enfrentamos, incluindo uma Rússia mais assertiva, terrorismo internacional, ameaças cibernéticas e de mísseis, e uma mudança no equilíbrio global do poder com a ascensão da China”, disse Stoltenberg.

Alemanha, Itália e Portugal querem fortalecer relação transatlântica

“Parabéns! O povo americano tomou a sua decisão. Joe Biden será o 46º. presidente norte-americano”, escreveu Angela Merkel no Twitter, partilhando um comunicado sobre a eleição americana.

A chanceler alemã disse “esperar com expectativa trabalhar com o presidente Biden” porque a “relação transatlântica é indispensável” para “enfrentar os maiores desafios do nosso tempo”.

Em França, Emmanuel Macron sublinha que há “muito por fazer para ultrapassar os desafios de hoje”, na mensagem em que dá os parabéns a Joe Biden e Kamala Harris pela vitória. “Vamos trabalhar juntos”, escreve o presidente francês no Twitter.

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, deu os parabéns “ao povo americano e às instituições por uma excecional demonstração de vitalidade democrática”.

E disse que estar pronto “para trabalhar com o presidente eleito Joe Biden” com o objetivo de “tornar a relação transatlântica mais forte”, escreveu no Twitter. “Os EUA podem contar com a Itália como um aliado sólido e um parceiro estratégico”.

Por cá, António Costa dá os parabéns a Joe Biden, dizendo estar pronto para colaborar com a nova Administração americana no reforço das relações transatlânticas e na gestão de assuntos globais, como as alterações climáticas, a defesa da democracia e a segurança internacional.

Também Marcelo Rebelo de Sousa saudou o presidente eleito e disse esperar que as relações entre os dois países se continuem “a estreitar no futuro”.

Numa declaração enviada à Agência Lusa, o Presidente da República disse ter a “certeza que as relações entre Portugal e os Estados Unidos da América, com mais de duzentos anos de história, se continuarão a estreitar no futuro, a bem dos dois países e de todos os seus cidadãos, nomeadamente o milhão e meio de Portugueses e luso-descentes que ali vivem”.

“Mais espera, também, um aprofundamento das relações entre a União Europeia e os EUA, bem como no quadro da Nato”, acrescenta o chefe de Estado.

Trump para Marcelo: “E se Ronaldo se candidatasse a Presidente?”; Resposta de Marcelo: “Portugal não é os EUA”

Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, foi dos primeiros chefes de Governo a dar os parabéns a Biden pela vitória e a Kamala Harris pela “conquista histórica”.

O primeiro-ministro britânico lembrou no Twitter a relação umbilical entre os dois países: “Os EUA são o nosso mais importante aliado e espero com expectativa que trabalhemos juntos, de perto, nas nossas prioridades partilhadas, desde as mudanças climáticas ao comércio internacional e à segurança”.

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, lembrou que EUA e Canadá “são amigos próximos, parceiros e aliados”.

“Partilhamos uma relação que é única no palco mundial. Aguardo mesmo com expectativa trabalharmos juntos”, escreveu no Twitter, depois de dar os parabéns a Biden e a Kamala Harris.

Na Austrália, o primeiro-ministro Scott Morrison desejou “os maiores sucessos” a Joe Biden e Kamala Harris, deixando a garantia de que “a aliança entre a Austrália e os EUA é profunda e duradoura e construída sobre valores comuns”.

“Espero com expectativa trabalhar consigo, em proximidade, enquanto enfrentamos juntos os muitos desafios do mundo”, escreveu no Twitter.

E até do presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, os novos inquilinos da Casa Branca e o povo americano receberam os parabéns.

Dois minutos depois Maduro acrescentaria que “a Venezuela, pátria do libertador Simón Bolivar, sempre estará disponível para o diálogo e o entendimento com o povo e o Governo dos EUA”.

Nem todas as reações são, no entanto, de júbilo. O “líder supremo” do Irão, Ali Khamenei foi rápido a reagir no Twitter, referindo a “faceta feia da democracia liberal nos EUA”.

“A situação nos Estados Unidos e o que eles próprios dizem sobre as eleições é um espetáculo! Este é um exemplo da faceta feia da democracia liberal nos Estados Unidos. Independentemente do resultado, uma coisa é absolutamente clara: o declínio político, civil e moral definitivo do regime dos EUA”

Obama diz que Biden “tem o que é preciso” — a celebração democrata

Assim que soube que ganhou, Joe Biden disse que é tempo de “a América se unir e curar-se”. “Somos os Estados Unidos da América e não é nada que, juntos, não consigamos fazer”, escreveu o presidente eleito numa curta nota enviada às redações. Biden diz sentir-se “honrado” pela “confiança” nele depositada e quer que agora seja “tempo de esquecer a raiva”.

Numa outra declaração, no Twitter, Biden garante que há muito por fazer neste mandato e que não interessa a cor política. “O trabalho que temos à nossa frente é duro, mas eu prometo-vos isto: serei um Presidente para todos os Americanos — quer tenham voto ou não em mim”, garante o ex-vice-presidente de Obama, que ser torna no 46º. presidente americano. “Vou manter a confiança que depositaram em mim”

Kamala Harris, a próxima vice-presidente dos EUA — e primeira mulher no cargo —, divulgou um vídeo em que liga a Joe Biden, de fato de treino e bem-disposta, para lhe dar os parabéns: “We did it! We did it Joe! Vais ser o próximo presidente dos EUA!”.

Momentos antes, garantiu no Twitter que “há muito trabalho” nos próximos anos. “Esta eleição é sobre muito mais do que Joe Biden e eu. É sobre a alma da América e a nossa vontade de lutar por ela. Temos muito trabalho à nossa frente. Vamos a isto”, escreveu Harris.

O marido de Kamala Harris celebrou no Twitter a vitória histórica. “Tão orgulhoso de ti”, escreveu apenas Doug Emhoff, acompanhando com dois corações, bandeiras dos EUA e a fotografia do abraço depois de conhecidos os resultados.

Barack Obama também já se mostrou “orgulhoso” com a eleição do seu antigo vice-presidente e sublinhou os desafios históricos que Biden e Harris vão enfrentar quando entrarem em funções.

“Quando ele entrar na Casa Branca, em janeiro, irá enfrentar uma série de desafios extraordinários que nenhum Presidente em início de funções alguma vez enfrentou”, escreve o ex-presidente norte-americano. Além da “pandemia, uma economia e um sistema de justiça desiguais, uma democracia em risco e um clima em perigo”.

Em todo o caso, o antigo líder norte-americano entende que Biden “tem o que é preciso para ser Presidente”.

Além disso, Obama elogia também o processo democrático, mas lembra que uma democracia precisa de “cidadania ativa” e “foco sustentado nos assuntos”. “Não apenas na época eleitoral, mas todos os dias”, sublinhou o antigo presidente.

Já Bill Clinton não tem dúvidas de que “a democracia ganhou” depois de os americanos terem dado a vitória a Joe Biden e Kamala Harris.

“Agora, temos um presidente eleito e uma vice-presidente eleita que nos vão servir a todos e juntar-nos”, escreveu o antigo presidente americano democrata. “Parabéns a Joe Biden e Kamala Harris pela vossa importante vitória!”

Hillary Clinton, que há quatro anos perdeu contra Donald Trump, sublinha no Twitter que a dupla Biden e Kamala fez história, mas que é também “um repúdio a Trump e uma nova página na América”.

A política democrata agradece “a todos os que ajudaram” a tornar esta vitória possível. “Em frente, juntos”, escreveu Hillary Clinton.

Ainda entre os democratas, a presidente da Câmara dos Representantes entende que havia muito em risco. “Mantivemos a república!”, escreveu no Twitter. “Parabéns a Joe Biden pela sua vitória pela alma do nosso país. Parabéns a Kamala Harris por fazer história. É tempo de curar e tempo de crescermos juntos. E Pluribus Unum”.

Bernie Sanders, que perdeu contra Biden nas eleições primárias dos democratas, também já deu os parabéns ao novo presidente. “Quero congratular todos aqueles que trabalharam tanto para tornar possível este dia histórico”, escreveu no Twitter.

“Agora, através da nossa contínua organização, vamos criar um Governo que trabalhe para TODOS e não para alguns. Vamos criar uma nação construída com base na justiça, não na ganância e na intolerância”.

Cindy McCain deu os parabéns ao “amigo querido e presidente eleito Joe Biden e à vice-presidente eleita Kamala Harris”. A viúva do republicano John McCain, do Arizona — estado que terá sido conquistado pelos democratas — tinha declarado a intenção de voto em Joe Biden, por ser “o único que luta” pelos valores americanos.

Em resposta, Trump respondeu que nunca gostou do político que defrontou Barack Obama nas eleições anteriores e que morreu em 2018. “Nunca fui um fã”, disse Trump em setembro, que uns anos antes já tinha dito que John McCain não foi um herói de guerra, porque não foi um prisioneiro de guerra.

O Arizona terá acabado por ser conquistado por Joe Biden e vários analistas políticos nos EUA entendem que esta disputa com John McCain e a sua mulher foi relevante para o resultado final.

“É tempo de caminhar para lá da política e construir uma América mais forte. Eu sei que o Joe vai unir o país ao encontro de um futuro melhor”, escreveu Cindy McCain no Twitter depois de saber da vitória de Biden.

Republicanos Romney e Jeb Bush confiam em Biden

Entre os políticos republicanos, o senador Mitt Romney diz que Joe Biden e Kamala Harris têm “carácter admirável”, dando a ambos os parabéns por ocuparem agora a Casa Branca.

Nós conhecêmo-los como pessoas de boa vontade e caráter admirável. Oramos para que Deus os abençoe nos dias e anos que virão”, escreveu no Twitter o político republicano, que foi candidato presidencial nas primárias de 2008, contra John McCain.

Jeb Bush também deu os parabéns a Biden no Twitter, dizendo que “agora é o tempo de curar feridas profundas”.

Muitos estão a contar consigo para encontrar o caminho“, escreveu o antigo governador da Flórida, filho de George Bush e irmão mais novo de George W. Bush, ambos antigos presidentes americanos.

“Parabéns ao presidente eleito Biden. Eu rezei pelo nosso presidente a maior parte da minha vida adulta. Vou rezar por si e pelo seu sucesso“.

“A tua performance esta última semana foi trágica e triste”

O magnata Bill Gates deu os parabéns a Joe Biden e a Kamala Harris, dizendo querer trabalhar “com a nova administração americana e com os líderes de ambos os lados no Congresso” para combater a pandemia e “mobilizar parceiros em todo o mundo em assuntos como a pobreza, as alterações climáticas e enfrentar os problemas da desigualdade” nos EUA.

O antigo líder da Microsoft também dedicou algumas palavras no Twitter aos funcionários eleitorais e a trabalhadores de campanha, a quem agradeceu por terem trabalhado “incansavelmente para garantir que um número recorde de americanos pudesse votar” e que os votos fossem contados “durante um período tão desafiador” para os EUA.

No mundo das artes e do espectáculo, o ator Sacha Baron Cohen foi corrosivo. “Donald, estás sem trabalho e eu sei que te ofereci um emprego. Mas a tua performance esta última semana foi trágica e triste”, escreveu no Twitter.

A oferta de trabalho ficou, por isso, sem efeito.

A cantora Lady Gaga pede a Donald Trump que deixe de contestar os resultados eleitorais.

Por favor, conceda. Eu sei que consegue ver como a América sofreu durante esta eleição”, escreveu Lady Gaga no Twitter. “Por favor, faça a sua parte numa transição pacífica de poder para que a nossa transição possa ser pacífica também”.

Já antes, a cantora tinha dado os parabéns a Biden e Kamala Harris pela vitória, referindo que os dois democratas “deram ao mundo um dos maiores atos de bondade e coragem que a humanidade alguma vez viu”.

E Julia Louis-Dreyfus, a Elaine de Seinfeld que fez também o papel de vice-presidente americana em Veep, durante sete anos, constatou que, finalmente, a “‘Senhora Vice-Presidente’ não é mais uma figura ficcional”. Antes já tinha dado os parabéns a Kamala Harris e Joe Biden pela vitória.

O autor Stephen King foi curto e incisivo. “Um dos melhores dias da minha vida“, escreveu no Twitter.

LeBron James, a estrela da NBA, foi também parco em palavras, mas eficaz na mensagem. Foi Biden que levou a melhor.