Um juiz de instrução criminal no Tribunal de Guimarães aplicou esta sexta-feira prisão preventiva a um casal suspeito de matar uma mulher de 69 anos, em Braga, para apropriação de bens patrimoniais da vítima, disse fonte da Polícia Judiciária.

Segundo a fonte da PJ, os arguidos estão indiciados da prática de crimes de homicídio qualificado, profanação de cadáver, burla informática e furto.

O elemento masculino do casal teria uma relação amorosa com a vítima.

“O objetivo do crime terá sido a apropriação dos bens que a vítima tinha consigo e ainda da casa que lhe pertencia”, disse a mesma fonte.

A vítima teria assinado um testamento em que deixava a sua casa ao suspeito do homicídio.

De 69 anos, a vítima terá sido assassinada “através do uso de força física” e o corpo transportado pelos suspeitos até Dume, em Braga, onde foi abandonado num caminho ermo, coberto por um plástico.

O cadáver foi encontrado na manhã de quarta-feira.

Os detidos, ele de 61 anos e ela de 48 anos, ainda se terão apropriado das peças em ouro e do cartão de crédito que a vítima detinha.