O governo do Reino Unido proibiu temporariamente, a partir deste domingo, a entrada de camiões, navios e aviões provenientes da Dinamarca, após ter sido detetada uma mutação do vírus SARS-CoV-2 que passou de animais para humanos.

O Ministério dos Transportes justificou que a medida, que entrou em vigor esta manhã, será revista dentro de uma semana, dependendo da evolução da pandemia no estado nórdico, adianta a agência EFE.

Os condutores britânicos que vêm ou passaram pela Dinamarca podem entrar no Reino Unido, mas terão de cumprir um período de isolamento de 14 dias com as suas famílias, como qualquer cidadão britânico que tenha passado pelo território dinamarquês.

O ministério afirmou que o reforço das medidas responde a “novas informações” das autoridades dinamarquesas sobre a propagação desta nova variante do coronavírus encontrada em visons (uma espécie de marta) e que é transmitida aos humanos, tendo já infetado pelo menos 214 pessoas na Dinamarca.

Covid-19. Mutação do vírus encontrada em visons foi detetada em 214 pessoas

No sábado, o governo britânico proibiu a entrada a todos os viajantes provenientes da Dinamarca, exceto os britânicos – que devem cumprir um confinamento de duas semanas –, depois de, na sexta-feira, retirar o país da sua lista de territórios isentos de quarentena.

Depois de serem este domingo anunciadas as restrições adicionais, a companhia aérea irlandesa Ryanair confirmou que vai suspender temporariamente todos os seus voos de e para a Dinamarca, e a escocesa Loganair informou que está a cancelar os voos entre os dias 09 e 22 de novembro.

O governo conservador do primeiro-ministro Boris Johnson impôs, desde a última quinta-feira até 02 de dezembro, um confinamento quase total em Inglaterra – a região mais populosa do Reino Unido com 56 dos 66,6 milhões de habitantes -,impedindo a realização de viagens não essenciais, entre outras medidas.

Segundo os últimos dados do Ministério da Saúde britânico, o Reino Unido registou mais 413 mortes por covid-19 entre sexta-feira e sábado, elevando o total para 48.888 desde o início da pandemia, e contabilizou 24.957 infeções diárias.