A Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH) lançou a “Bolsa Capital Humano” para reconhecer e dotar os profissionais do Serviço Nacional de Saúde das competências necessárias para liderarem e desenvolverem projetos que promovam uma mudança positiva nas suas realidades.

Esta iniciativa representa “um pequeno esforço para reter aqueles que sustentam o SNS”, refere a APAH em comunicado, sublinhando que “a resposta a esta pandemia não foi conseguida apenas à custa de ventiladores ou outros recursos. Foi essencialmente conseguida devido à mobilização de todos os profissionais de saúde que trabalham no SNS, que neste desafio demonstraram a sua qualidade, competência e espírito de sacrifício”.

Em poucas semanas, atravessando um clima de dúvidas, incertezas e receios, e nem sempre com orientações claras e específicas, os serviços do SNS foram capazes de se reinventar e reorganizar para conseguir dar resposta à pandemia”.

“Algumas equipas foram fragmentadas, outras criadas do zero, e outras passaram a organizar o trabalho de forma totalmente diferente do habitual, com profissionais deslocados para a frente de batalha, enquanto outros ajudavam à distância. Tudo isto forçou uma reestruturação das instituições, com algumas mudanças que perduram, que fizeram as lideranças perceber que algumas coisas se podem fazer diferente, e melhor”, salienta.

Ao longo de todo este processo, “houve muitos líderes, vários até de forma inesperada, que emergiram à tona das organizações de saúde”.

Para a APAH, este fenómeno serve para relembrar que não se deve “esperar por crises para identificar e reconhecer o talento e incentivar lideranças que acreditem e apostem verdadeiramente nas pessoas como capital estratégico para as organizações de saúde”.

Nesse sentido, esta bolsa visa “reconhecer e potenciar o capital humano do SNS” e será atribuída a duas instituições do SNS (Centros Hospitalares, Unidades Locais de Saúde ou Agrupamentos de Centros de Saúde), que serão escolhidas de acordo com “a qualidade, pertinência e potencial de mudança de uma proposta de projeto direcionada ao desenvolvimento do capital humano na sua instituição”.

As bolsas, que tem o apoio da Gilead, com a consultoria técnica da nobox, consistem no acesso a um programa, coordenado pela nobox, que permitirá às instituições acelerar a implementação desses projetos, através de dois apoios.

O primeiro apoio é uma programa de formação, focado em “Liderança de Equipas, Alinhamento Organizacional e Gestão de Mudança”, com a duração de 48 horas para 15 profissionais de cada instituição, e o segundo será um apoio técnico no formato de consultoria à implementação de um Projeto de “Mudança do Capital Humano”, em 2021.

As inscrições decorrem entre 16 de novembro e 15 de janeiro de 2021, no site da APAH, onde podem encontrar os detalhes para a candidatura.

Esta bolsa foi pensada e desenhada especificamente para desenvolver competências nos profissionais de saúde de forma a que possam contribuir proativamente nos processos de transformação em curso nas suas realidades hospitalares, e, em particular, liderar a dimensão humana das mudanças que se venham a implementar no futuro”.