A partir do dia 23 de novembro, qualquer pessoa que viaje para Espanha a partir de uma zona de risco (Portugal incluído) terá de apresentar um teste negativo à Covid-19 realizado nas 72 horas anteriores à passagem da fronteira espanhola, escreve esta quarta-feira o jornal El País.

No que diz respeito aos países europeus, o critério usado por Espanha para determinar as regiões de risco será o mapa atualizado regularmente pelo Centro Europeu para o Controlo e Prevenção de Doenças — que, atualmente, inclui Portugal Continental e a Madeira como regiões de risco máximo e os Açores como zona de risco médio.

Para outros países, o critério será o do número de casos acumulados nos 14 dias anteriores por 100 mil habitantes.

Covid-19. Portugal com 82 mortes e 4.935 novos casos nas últimas 24 horas

Atualmente, qualquer passageiro que viaje para Espanha já tem de preencher um Formulário de Controlo Sanitário (online, aqui). A partir da entrada em vigor da nova medida, este formulário vai incluir um novo campo no qual o passageiro tem de confirmar a existência de um teste negativo à Covid-19 — e terá de transportar consigo o comprovativo do teste, para que o possa exibir às autoridades caso seja abordado.

O documento pode ser apresentado em inglês ou em espanhol, em papel ou em formato digital.

Espanha junta-se assim a um conjunto cada vez maior de países europeus que estão a exigir a apresentação de um teste negativo à Covid-19 aos passageiros que atravessem as suas fronteiras. Na segunda-feira, a Noruega tinha adotado a mesma medida, que a Dinamarca também tinha implementado no final de outubro.

Áustria, República Checa, Grécia, Eslováquia, Eslovénia e Chipre são alguns dos países onde estão em vigor medidas semelhantes, embora com algumas diferenças de critério e de aplicação.

Em Itália, um dos países mais afetados pela pandemia durante a primeira vaga, os passageiros só são obrigados a realizar um teste à Covid-19 se viajarem a partir de uma curta lista de países que não inclui Portugal.