Alguns hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) já estão a testar doentes para a Covid-19 e outros vírus respiratórios, como o da gripe, em simultâneo. É o caso do Centro Hospitalar Universitário de São João, no Porto, e do Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, avança o Jornal de Notícias (edição impressa). Estes testes permitem que, durante a época da gripe, os médicos consigam esclarecer as dúvidas mais rapidamente e, desta forma, ganhar tempo caso o doente tenha de ser internado.

No Hospital de São João, os chamados “multiplex” (que permitem detetar ao mesmo tempo vários vírus respiratórios além do SARS-CoV-2) já estão a ser utilizados no serviço de Urgência, confirmou ao JN o diretor do Serviço de Patologia Clínica, acrescentando que esta pode ser mais “uma arma de diagnóstico” para ajudar a tomar decisões.

Já o Hospital de Gaia/Espinho está à espera que os novos testes cheguem, tendo já disponível testes em separado para os vírus da gripe. O hospital refere, em resposta ao mesmo jornal, que a ideia é ir substituindo dos testes convencionais à Covid-19 por este modelo de testagem: “Temos uma capacidade diária de 1.200 testes e pretendemos, com esta aquisição, realizar entre 35% a 40% dos testes neste setor”.

Também o grupo Unilabs disponibiliza estes testes desde o dia 14 de outubro, tendo vendido já cerca de 480 em três semanas a hospitais e consultórios privados, de acordo com António Maia, diretor médico da Unilabs. Além dos testes “multiplex”, há também outra técnica de duplo despiste que já é usada em alguns hospitais e recomendada pela Direção-Geral de Saúde: a soma de dois testes (SARS-CoV-2 e Influenza A e B) a partir da mesma zaragatoa.